Hoje em dia, estamos todos cercados por telas – televisão, computadores, tablets, celulares e video games –, e isso é ainda mais verdade para os adolescentes, expostos a esse tipo de dispositivo desde tenra idade. Mas a situação não está sendo boa para o sono dos jovens, indica um novo estudo conduzido na Noruega.

Foram entrevistados cerca de 10 mil adolescentes entre 16 e 19 anos sobre seus hábitos de sono e de uso de eletrônicos.

Aqueles que usaram aparelhos como tocadores de MP3, consoles de video games, tablets, celulares e computadores por mais de cinco horas por dia estão 3,5 vezes mais sujeitos a dormirem menos de cinco horas por noite. Além disso, estão 49% mais propensos a precisar de mais de uma hora para dormir.

Vilão noturno

A pesquisa confirma as suspeitas de que aparelhos eletrônicos interferem no sono, mas os cientistas ainda não sabem exatamente como esse mecanismo age. A luz das telas pode estar interferindo na melatonina, que regula relógio biológico, mas pode haver efeitos menos óbvios, como os estímulos emocionais de uma conversa online com amigos.

De fato, segundo a pesquisa, o chat online e o email são as atividades com tela que mais interferem no sono, enquanto os jogos, sejam para consoles ou PC, são os que menos afetam o ciclo (mas continuam tendo influência significativa na qualidade do descanso).

Os riscos são maiores quando se usa os dispositivos uma hora antes de dormir. Quem fez isso com computadores e smartphones teve 53% mais chance de perder duas horas do sono e 35% mais probabilidade de prejudicar ainda mais tempo. Apesar das diferenças individuais, adolescentes precisam dormir entre 8 e 9 horas por noite.

Há o risco de se cair em um círculo vicioso, alertam os cientistas. A pior coisa que você pode fazer enquanto não pega no sono é ligar o smartphone, computador ou a TV. Agora, os pesquisadores querem descobrir como exatamente as telas prejudicam o sono.

Cupons de desconto TecMundo: