Não é de hoje que imaginamos o quanto as invenções dos quadrinhos, filmes ou histórias podem ser trazidas para o mundo real. E, quando falamos em acessórios tecnológicos de última geração, com certeza a armadura do Homem de Ferro seria um dos “brinquedinhos” que você provavelmente ficaria interessado em utilizar por aí. Mas será que um dia a veremos concretizada com todas as funções originais?

Este foi o questionamento principal feito para Ariel Williams no site Quora. Com uma pesquisa apurada, ele trouxe algumas curiosidades interessantes sobre a armadura de Tony Stark e contextualiza como as atuais tecnologias podem estar muito longe ou perto de tornar a ficção uma realidade.

O que ainda não é possível

Para a tristeza de muitos, nem todas as habilidades do Homem de Ferro podem ser utilizadas com as tecnologias atuais. Pois é, se você esperava poder fazer algumas destas coisas a seguir, é melhor saber que pode demorar muito mais do que você imagina...

Voar com propulsores pequenos

O estilo de voo varia conforme as diversas armaduras de Tony Stark, mas a propulsão executada é uma das habilidades mais difíceis de serem concretizadas com a tecnologia atual. Segundo Williams, o problema estaria nos motores dos foguetes e nas vigas do repulsor muito pequenas para transmitir a força necessária para se manter ou acelerar no ar.

A explicação achada pelo autor para a utilização original é que os repulsores da armadura seriam capazes de manipular a gravidade ao redor, possibilitando o voo. No entanto, ele também lembra que qualquer tipo de tecnologia como essa ainda é muito difícil pela tecnologia atual.

Um Arc Reactor

O coração literal do Homem de Ferro não é explicado com muitos detalhes pelos quadrinhos, o que dificulta qualquer tipo de especulação sobre a sua natureza. Só para ter ideia de sua potência, ele é menor que uma lata de refrigerante e é capaz de produzir mais energia que um potente reator de um submarino radioativo norte-americano — o que o torna extremamente poderoso.

As explicações sobre o seu funcionamento envolvem uma energia capaz de se renovar continuamente, quebrando muitas das leis termodinâmicas já existentes. O tamanho do reator também impossibilitaria qualquer tentativa atual, ainda mais quando os processos de energia de uma fonte tão poderosa como ela poderiam queimar um ser humano dentro da armadura. Nada agradável.

O que é possível

Ok, vamos para a parte divertida, que tal? A tecnologia atual nos permite fazer algumas coisas interessantes com as habilidades do Homem de Ferro. Se você está pensando em também utilizar um pouco das características de gênio, bilionário, playboy e filantropo, aqui está algumas coisas que você pode tentar.

Reproduzir a Mark 1

A primeira das armaduras feitas por Tony Stark é simples, mas muito possível de ser reproduzida atualmente. Se você lembra da cena do filme em que ele sai da caverna causando o caos com o lança-chamas e aguentando milhares de disparos, talvez fique um pouco surpreso ao ver as últimas funcionalidades da armadura XOS 2.

O vídeo acima mostra parte do funcionamento do exoesqueleto atual, possibilitando que um soldado possa levantar cerca de 90 quilogramas sem fazer esforço nenhum. Ela possibilita movimentos rápidos e o suporte para uma quantia muito maior de equipamentos — só esperamos que um lança-chamas esteja na lista, não?

Gerador de energia

Não é como um Arc Reactor, mas é possível ter um pequeno gerador para fazer tantos movimentos. Ele permitiria operações mais trabalhosas dos exoesqueletos, principalmente quando o assunto é levantar objetos muito pesados. O detalhe é que essa fonte é externa, mas Williams estima que entre seis ou dez anos já será possível ter esse gerador dentro da máquina.

O único problema, no entanto, seria o recarregamento frequente. Ao contrário do coração do Homem de Ferro, a bateria não conseguiria ser auto suficiente, mas vale lembrar que a Mark 1 também não era totalmente poderosa quando foi construída. Os primeiros protótipos da armadura usavam espécies “transistores”, mas a energia utilizada por elas poderia fazer qualquer fonte normal se esgotar muito rapidamente.

Voar por outras maneiras

Embora não tenha tanto estilo como o original, um jetpack pode substituir a necessidade de voar e ser um brinquedo interessante para atingir os céus. Mas não são as únicas maneiras de conseguir alçar voo, podendo utilizar jatos portáteis ou mesmo mecanismos de propulsão com a força da água, embora todos ainda apresentem grandes desvantagens se comparadas com a armadura original

Mas estamos falando de um gênio, então é melhor reconsiderarmos um pouco nossas limitações atuais, não é?

Apesar de estarmos em um estado muito inicial em toda a tecnologia do Homem de Ferro, já é possível fazer algumas combinações bem interessantes para sair voando por aí e levantando grandes pesos. Com a ajuda de um pouco de computação e uma tecnologia além do nosso tempo, talvez um dia poderemos ter a nossa própria armadura em casa. Que tal a ideia?

Cupons de desconto TecMundo: