A sigla RPG pode ter vários significados diferentes. Para muitos, essas três letras representam "Role-playing Game", uma espécie de jogo de interpretação no qual os participantes assumem o papel de personagens fictícios. Outra parcela da população talvez conheça essa sigla como resultado da expressão "Reeducação Postural Global", um método fisioterapêutico para correção da postura. Porém, muitos provavelmente também conhece RPG como o sinônimo de uma arma muito destruidora: a "Rocket-Propelled Grenade", algo como um "foguete lançador de granadas".

Se você acompanha notícias sobre guerras que acontecem em nosso globo, é provável que já tenha visto um RPG antes em alguma reportagem. Essa é uma arma com um projétil explosivo muito usada por exércitos do mundo todo e que também faz parte do arsenal de grupos terroristas e insurgentes. Mas como esse armamento funciona? Como foram criados os RPGs? E por que esse tipo de arma é tão perigoso?

Você sabe como funciona um RPG?

Ataque à distância

Mesmo no passado, a possibilidade de atacar um inimigo sem se aproximar muito dele era uma necessidade das sociedades que desenvolviam algum tipo de arma. É por isso que armas como a lança, o arco e flecha, o estilingue e até mesmo o bumerangue foram criadas. Porém, com a descoberta de novos materiais, a tecnologia de guerra também evoluiu.

Por volta do ano 1500, um tipo de armamento começou a se destacar por conta da possibilidade de ser utilizado à distância e com relativa segurança diante dos inimigos. O morteiro é uma arma usada até hoje e consiste em um longo cano montado no chão que dispara projéteis – explosivos ou não – para o ar com o objetivo de fazê-los cair no meio da linha inimiga.

Embora o morteiro seja bastante eficaz, ele possui algumas desvantagens: o seu formato de utilização, montado no chão, não permite uma mira muito precisa. Até é possível determinar o local onde os projéteis vão cair, mas mesmo cálculos avançados podem desconsiderar alguns fatores que interferem na precisão.

A partir daí, uma ideia simples, mas brilhante, surgiu: direcionar o morteiro para o lugar onde você quer acertar, de uma forma muito semelhante ao que um foguete faz durante o seu lançamento. Esse método aliava a segurança de uma arma que não precisa da proximidade do inimigo e o poder de fogo dos projéteis explosivos. Foi assim que surgiu o "Rocket-Propelled Grenades", também conhecido pela sigla RPG.

Embora ainda seja bastante usado atualmente, o morteiro pode ser considerado um ancestral do RPG

Embora a sigla geralmente seja associada ao nome "Rocket-Propelled Grenades", RPG, na verdade, advém da frase russa para "armamento de mão antitanque lançador de granada": Ruchnoi Protivotankovye Granatamyot.

Como o RPG funciona?

O foguete lançador de granada é o resultado de diversas revisões e modificações até a chegada do modelo atualmente utilizado por diversos exércitos e grupos terroristas. O chamado RPG-7, cujos antecessores receberam a numeração conforme foram evoluindo com o tempo, é uma arma antitanque extremamente simples e letal, além de muito popular entre os guerrilheiros.

O RPG é uma arma que pode ser basicamente separada em duas partes: a granada e um dispositivo de lançamento. Muitas vezes, o lançador, um tubo que fica no ombro de quem o opera, pode ser recarregado, facilitando a vida da artilharia ao levar o armamento de uma área para outra.

O foguete lançador de granada é o resultado de diversas revisões e modificações até a chegada do modelo atualmente utilizado por diversos exércitos e grupos terroristas

No geral, as duas pontas do lançador são abertas, e um projétil com uma espécie de "motor" é fixado na ponta da frente do tubo. O tiro é realizado quando um mecanismo de gatilho é acionado, o que inicia a combustão de uma série de gases que lançam a granada em direção ao alvo. Os modelos de RPGs modernos conseguem alcançar o alvo a uma distância aproximada de 150 a 300 metros, o que pode variar conforme o tipo de arma e a habilidade de quem a está operando.

O momento de acionamento de um RPG

O estrago

As imagens a seguir, fotos de um tanque M2 Bradley, mostram o estrago causado por um RPG-7.

O estrago causado em um tanque por um RPG-7

O estrago causado em um tanque por um RPG-7

O estrago causado em um tanque por um RPG-7

O estrago causado em um tanque por um RPG-7

O estrago causado em um tanque por um RPG-7

RPG no futuro

Embora a robustez, a simplicidade e o baixo custo tenham feito com que o RPG tenha sido uma das armas mais populares do mundo, ainda há melhorias consideráveis para serem realizadas. Esse armamento antitanque, que tem sido usado por mais de 40 países, presente em guerras desde meados de 1960 – a partir da Guerra do Vietnã – até batalhas mais atuais – como as que aconteceram no Afeganistão e no Iraque – ainda vai ser muito utilizado por vários anos.

As melhorias que mencionamos envolvem, por exemplo, a implementação de sistemas automático e semiautomático para o lançamento das granadas. A precisão dos RPGs é outro ponto que tem sido aprimorado com o tempo com a inclusão de guias laser que aumentam muito a precisão. Portanto, provavelmente ainda ouviremos falar muito sobre essa arma nos próximos anos.

Você sabe como funciona um RPG, ou foguete lançador de granadas? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: