(Fonte da imagem: Reprodução/AdLiterate)

A Google anunciou que vai bloquear a pesquisa por pornografia pedófila em seu motor de pesquisa. O presidente da empresa, Erick Schmidt, revelou que uma nova tecnologia será a responsável por essa medida, que deve eliminar o conteúdo em mais de 100 mil tipos de resultados.

A companhia também vai introduzir um sistema de advertência em mais de 13 mil tipos de pesquisas, reiterando que a pornografia infantil e o abuso sexual infantil são ilegais. Entretanto, o processo deverá ser manual. “Não há uma solução técnica rápida quando se trata de detectar imagens de abuso sexual infantil”, afirmou Schmidt ao jornal britânico Daily Mail.

Sistema manual

Por isso, o presidente da Google anunciou a contratação de uma equipe formada por 200 funcionários, os quais deverão limpar os resultados exibidos quando as pessoas procuram por termos relacionados à pornografia infantil.

A Microsoft também entrou na jogada e vai fornecer uma tecnologia de detecção de imagens para o novo sistema. As restrições serão aplicadas inicialmente apenas em países da língua inglesa, mas devem ser estendidas ao restante do mundo nos próximos seis meses.

Ainda não resolverá tudo

A medida anunciada pela Google pode ser considerada uma vitória do primeiro-ministro britânico, David Cameron, que está em uma luta contra a pornografia, com foco especial em impedir que os motores de busca exibam resultados de conteúdo pedófilo.

É claro que os esforços da Google e Microsoft, infelizmente, não conseguirão remover toda a pornografia infantil da internet. Ela ainda poderá ser encontrada em redes peer-to-peer (P2P) ou na deep web, protegida por softwares que garantem o anonimato, como o Tor. Porém, esse já é um avanço.

Cupons de desconto TecMundo: