A Ford recentemente anunciou a chegada oficial no Brasil do Fusion Hybrid 2017, seu luxuoso e tecnológico sedã grande com motor elétrico e a gasolina, em um evento realizado no Rio de Janeiro – e nós fomos até lá a convite da empresa para conferir a novidade de perto. Na ocasião, tivemos a oportunidade de assumir o volante do possante em um trajeto urbano que cruzou boa parte da capital carioca.

Partindo do hotel Windsor Marapendi, na Barra da Tijuca, seguimos em grupos de três jornalistas e um representante da fabricante rumo ao Museu do Amanhã, no centro do Rio de Janeiro. No total, a rota que seguimos passou facilmente dos 50 km, incluindo trechos de avenidas livres com limite de velocidade de até 80 km/h e ruas bem mais lentas e cheias, com semáforos e trânsito intenso.

Bom para os passageiros...

Divido em três partes, o caminho permitiu que todos os membros da imprensa pudessem se alternar nas posições de passageiro e motorista. Logo de cara, fui relaxando com a saída de ar condicionado no banco de trás – abençoada no forte calor do Rio. O conforto dos bancos de couro me abraçou como um amigo antigo, mas foi um abraço espaçoso, com folga para a minha cabeça e pernas mesmo com meu 1,86 metro de altura.

Os assentos do Fusion Hybrid 2017 são confortáveis e espaçosos para todos os ocupantes

A sensação foi igual no banco de carona frontal, mas com a diferença de que pude ajustar a altura e a inclinação do encosto livremente usando os controles na lateral, achando a posição perfeita para apreciar a viagem. Ali, também pude conferir de perto a interface renovada do sistema de entretenimento SYNC 3, que parece reagir muito melhor do que a versão anterior – que conferimos durante nossa semana de review do Ford Focus 2016 Hatch.

Uma das partes que mais parece ter melhorado foi o pareamento de smartphones por Bluetooth, que no Fusion Hybrid 2017 foi feito rapidamente e sem complicações. Foi só achar o sistema do carro no celular, selecioná-lo, confirmar a ação no popup da tela de 8 polegadas no veículo e pronto! Infelizmente, não conseguimos conferir a interação com o Android Auto e o Apple CarPlay por conta do curto tempo do test-drive.

O sistema SYNC 3 teve a interface e o desempenho melhorados pela Ford

... melhor para quem dirige

Chegada a minha vez, pude conferir com minhas mãos e pés o funcionamento do carro, que responde muito bem aos comandos tanto nos pedais quanto no volante elétrico. A direção é confortável e a transmissão automática controlada por um seletor rotatório não oferece qualquer dificuldade de utilização, passando toda a força dos motores para as rodas de acordo com a vontade do motorista. Tudo muito bom, mas nada fora do esperado – pelo menos até começarmos a usar os recursos tecnológicos.

Ao lado do velocímetro, o painel atrás do volante conta com duas telas de 4,2 polegadas que mostram informações diversas sobre o carro. Na esquerda, vemos informações do piloto automático e os medidores de energia da bateria e de quantidade de gasolina no tanque. Toda vez que o acelerador é solto ou o freio é pressionado suavemente, recebemos informações sobre quanto da energia gerada pelo movimento foi convertida em força armazenada. Na direita, podemos ver dados estatísticos sobre o desempenho do carro, entre outras opções de informações customizáveis.

O painel tem duas telas de 4,2 polegadas repletas de informações sobre o carro

Além do painel, o primeiro item no qual reparei foi uma pequena luz localizada na parte mais externa dos dois espelhos laterais, que se acende toda vez que algum outro veículo se posiciona no ponto cego do Fusion. Por mais que os retrovisores sejam amplos e apresentem um ótimo campo de visão, o adendo ajuda bastante na hora de saber se não há mesmo uma moto ou carro na região que você não consegue ver, e que poderia acabar fechando ao se mover entre as faixas.

Aventuras com o piloto automático

Mais interessante, porém, é o piloto automático adaptativo com “stop and go”. De forma parecida ao de outros modelos da Ford, basta você apertar alguns botões perto do seu dedão esquerdo no volante para estabelecer qual é a velocidade que você deseja que o carro mantenha. Depois disso, pode tirar o pé do acelerador, pois o veículo vai seguir o ritmo que você escolheu.

"Olha, mãe! Tô andando sem usar os pés!"

Usando seus sensores, câmera e radar, o Fusion consegue detectar a presença de outros automóveis à sua frente. Os botões do volante também permitem que você ajuste a distância que deseja manter e, então, o carro passa a frear e acelerar para respeita os limites determinados. Daí em diante você só precisa controlar a direção com o volante.

O piloto automático é recomendado para vias de alta velocidade, mas não para situações de tráfego intenso e lento

Em um primeiro momento, a sensação é de insegurança e até um pouco de medo, já que estamos acostumados a ficar sempre no controle da aceleração e frenagem dos carros quando dirigimos. Isso, no entanto, logo é substituído por certo deslumbramento quando notamos que o Fusion realmente consegue acelerar, reduzir e parar sozinho de acordo com os carros, motos e outros veículos que andem ou passem na sua frente. Nessa hora, todos nós ficamos com sorrisos bobos estampados nos rostos.

Fernando Pfeiffer, gerente de produto da Ford, ressalta que essa tecnologia não é recomendada para uso em situações de tráfego intenso, com muitas paradas, retomadas e trocas de faixa. Embora o piloto automático tenha funcionado muito bem em vias de velocidade mais elevada, realmente não podemos dizer o mesmo quando chegamos às ruas do centro do Rio. Em dois momentos, o sistema chegou a ameaçar acelerar indevidamente, acendendo o alerta de risco de colisão e fazendo com que eu me assustasse e pisasse no freio bruscamente.

Poderia me acostumar com essa mordomia

Ao chegarmos à parada final do test drive, na praça em frente ao Museu do Amanhã, a sensação a respeito da experiência como um todo foi de satisfação. O Ford Fusion Hybrid 2017 se mostrou confortável, prático e simplesmente gostoso de dirigir. Os mimos tecnológicos adoçam o pacote como um todo e facilitam a vida do condutor quando usados da forma correta, mas é preciso ter em mente que não estamos lidando com um carro 100% autônomo, então é necessário se manter atento.

O passeio com o Ford Fusion Hybrid 2017 foi encerrado quando chegamos ao impressionante Museu do Amanhã

O carro chega ao Brasil somente em sua versão mais completa, a Titanium, e custará R$ 159.500. Mais detalhes sobre o anúncio do possante e sobre as tecnologias e recursos embarcados podem ser encontrados no nosso texto sobre o evento da Ford, disponível neste link. Agora, se me dão licença, preciso voltar à realidade com o meu carro nada tecnológico.

Cupons de desconto TecMundo: