Pesquisadores franceses já conseguem identificar pessoas apenas pela forma como elas digitam em seus teclados. É possível também determinar se alguém é homem ou mulher com certa facilidade, sendo necessário o indivíduo digitar apenas cinco frases para ter seu gênero determinado.

Esse método, entretanto, não é exatamente novo. Já durante a Segunda Guerra Mundial, os serviços de inteligência dos países envolvidos analisavam a forma como os tons de Código Morse eram digitados para saber se realmente vinham de aliados ou de inimigos. A técnica nada mais é do que grafologia aplicada sobre as formas de digitação das pessoas.

Um software que analise a forma de teclar de uma pessoa reduz em até 94% a possibilidade de alguém sequestrar uma conta na internet

Somente agora, entretanto, é que esse conhecimento tem sido aplicado em segurança virtual. “Um software que analise a forma de teclar de uma pessoa reduz em até 94% a possibilidade de alguém sequestrar uma conta na internet, mesmo se souber a senha”, disse Christophe Rosenberg à BBC. Ele e seu grupo de pesquisadores trabalham com a identificação de pessoas a partir da sua digitação na Escola Nacional Superior de Engenheiros de Cean, na França.

Segundo Rosenberg, o método poderia ser utilizado em sites de bancos para melhorar a segurança dos clientes, e o custo de implementação seria bastante baixo, uma vez que não requer que o usuário instale nada em seus dispositivos ou navegadores. A tecnologia seria apenas incorporada em páginas web. Além disso, submarinos de alguns países já utilizam esse método para autorizar o lançamento de mísseis.

Um problema em rastrear os padrões de digitação de pessoas para utilizar como métodos de autenticação seria a possibilidade de criminosos invadirem sistemas de bancos e roubarem os padrões dos clientes. As pessoas dificilmente conseguiriam mudar seu padrão de digitação tão facilmente como trocam uma senha. Ou seja, o transtorno em casos como esses seria bem significativo.

Cupons de desconto TecMundo: