Há algum tempo, nós publicamos uma matéria sobre uma polêmica quanto às certificações de fontes de alimentação. Na ocasião, comentamos sobre falsificações e casos que não atendiam aos requisitos mínimos para levar qualidade ao consumidor.

Para aqueles que não têm intimidade com o tema, vale ressaltar que esse tipo de ação por parte de algumas fabricantes, bem como a falta de fiscalização das responsáveis pelas certificações, pode custar muito caro para o consumidor.

Este problema veio a conhecimento público quando o TecLab, famoso laboratório brasileiro de hardware, revelou que até mesmo a mais importante certificadora do segmento negligencia aspectos de extrema importância no processo. Segundo os especialistas, a organização responsável pela certificação 80 Plus desconsidera manutenção, peca pela falte de controle, não fiscaliza produtos certificados e mantém prazos indeterminados.

É de suma importância frisar que ao desconsiderar temperaturas ambientes mais altas (que influenciam os resultados), permitir modificações em modelos já certificados sem avaliação ou, depois da “venda do documento”, não realizar o controle — permitindo e até “encorajando” o “barateamento” do produto — sem nenhuma reavaliação, algumas empresas podem lesar seriamente os consumidores que investem tanto em componentes de hardware.

Uma solução chamada Cybenetics

Para barrar esse tipo de ação em terras internacionais, os sites Tom’s Hardware e TechPowerUp criaram uma aliança chamada Cybenetics. Em laboratório com equipamentos de alta qualidade, especialistas renomados realizam testes rigorosos para averiguar a validade das certificações, bem como para levar os componentes ao extremo.

A Cybenetics criou uma metodologia rigorosa, que vai além dos testes básicos da 80 Plus. A empresa concede as certificações ETA e LAMBDA, respectivamente para eficiência e ruído, quando os componentes cumprem todas as exigências necessárias para assegurar ao consumidor, que a fonte que ele comprou vai cumprir o que o seu fabricante prometeu.

Agora, a empresa divulgou que, para garantir o controle deste padrão, eles convidaram nossos amigos do TecLab (youtube.com/mrrbuass), laboratório de análises de hardware reconhecido internacionalmente, para realizar testes aleatórios de inspeção e conformidade, dentro de padrões inflexíveis, para os modelos certificados com ETA/LAMBDA, e assim inibir empresas mal-intencionadas de alterar produtos sem avaliação.

O objetivo é evitar que componentes de baixa qualidade cheguem ao consumidor e garantir que as fabricantes honestas — tal qual a Seasonic, que já aderiu aos processos da Cybenetics — tenham certificados mais rigorosos, que darão vantagem significativa sobre os produtos de marcas “fajutas”. Vale notar que, aqui no Brasil, a loja KaBuM! também adotou a essa metodologia, de modo que a intenção é comercializar apenas os componentes mais robustos.

Aproveitando o tema, o pessoal do TecLab vai realizar uma live stream em conjunto com a Pichau Informática. Para conferir, basta acessar o canal da Pichau clicando aqui. Você também pode participar das discussões sobre o tema no grupo oficial do TecLab.

Cupons de desconto TecMundo: