Podemos considerar que a tecnologia de dispositivos móveis como smartphones e tablets está em um clímax nunca antes alcançado. Cada vez mais, vemos novos modelos com tecnologias de ponta que exploram todo o potencial desse tipo de aparelho. Recursos inovadores surgem todos os anos para incrementar os produtos que são carros-chefes das maiores marcas do mundo.

A concorrência gerada por essa “corrida tecnológica” ajuda a tornar possível o acesso relativamente fácil a alguns modelos bem bacanas de celulares e tablets. Ainda assim, para a nossa surpresa, podemos encontrar alguns aparelhos de qualidade duvidosa e que impressionam por apresentar o pior possível em termos de peças, recursos e acabamento.

Conheça agora o incrível Esinomed Infoview Medical Tablet Computer. Incrível pelo fato de ser tão malfeito que chega a ser difícil entender como um produto foi criado dessa maneira. Fabricado na Alemanha, seu objetivo é ser usado em hospitais ou clínicas médicas por profissionais da saúde e disponibilizar informações sobre pacientes de maneira mais rápida e prática.

Protótipo ou produto finalizado?

A primeira impressão que temos é de que o tablet não foi terminado. Parece que ele foi comercializado antes de ter sido totalmente montado ou que estamos usando algum tipo de protótipo. A aparência lembra muito algum dispositivo montado com peças de outros aparelhos na tentativa de fazê-lo funcionar. Até um Pip-Boy da série Fallout, construído em pleno fim do mundo, parece mais bem acabado.

A placa-mãe é uma AMD Geode NX800LX Nano-ITX de 800 MHz, e o sistema operacional é o Windows XP. E isso é a única parte boa do tablet Esinomed, acredite se quiser. Ao abrir o dispositivo, encontramos um emaranhado de fios grosseiros e componentes eletrônicos bizarros, grandes, todos soltos ou presos uns nos outros de maneira apressada e sem o menor cuidado.

Tudo isso usa como suporte um pedaço de compensado ou algum material de madeira parecido que é preso à parte traseira do tablet com fita dupla face. Simples assim. Há um cabo USB dentro do aparelho com um lado soldado no meio da placa e outro plugado em uma entrada em outra parte da placa. Nada pode parecer mais improvisado e amador do que isso. Ou pode?

Confira algumas imagens dessa aberração na galeria a seguir:

Fonte de energia de procedência duvidosa

Talvez a coisa mais “tosca” que foi encontrada dentro desse “tablet” (fui obrigado a usar aspas nesse termo) é sua fonte de energia: em vez de uma bateria normal, mesmo que fosse uma ruim, daquelas usadas em dispositivos móveis, há um amontoado de pilhas AA soldadas e presas umas às outras com fita adesiva. Isso mesmo. Fita adesiva. O popular “durex”.

Não há sequer soquetes para conectar as pilhas entre si ou com a placa-mãe. São fios soldados que prendem esse ninho de ratos feito de pilhas. Um completo show de horrores que deixaria qualquer eletricista amador em depressão.

É um verdadeiro pesadelo pensar que esse tipo de “tecnologia” (as aspas novamente) está sendo empregada na saúde de pessoas e que pelo menos 11 dispositivos como esses existem por aí nos hospitais do mundo. Que o deus da boa tecnologia (seja quem ele for para você) nos proteja!

O pior tablet do mundo foi encontrado. Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: