A Ampla, empresa do Grupo Enel, acabou de lançar a plataforma de crowdsourcing que será a base do projeto N.O.V.A. , sigla para “Nós Vivemos o Amanhã”, uma iniciativa inédita no Brasil. O investimento previsto será de R$ 5 milhões financiados por meio do programa de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) da Agência Nacional de Energia Elétrica.

O projeto será realizado em parceria com a Prefeitura de Niterói, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e a Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio). A plataforma digital interativa (nosvivemosoamanha.com.br) permitirá que o público contribua com ideias para a construção de uma moradia do futuro que seja sustentável, tenha tecnologias inovadoras que possam facilitar a vida das pessoas e solucionar problemas que existem hoje.

A ativação da plataforma, que começa hoje e vai até o fim do primeiro semestre de 2015, é uma evolução da página Nós Vivemos o Amanhã, comunidade do Facebook que reuniu em apenas três meses cerca de 35 mil pessoas interessadas em contribuir com ideias para a melhoria da qualidade de vida e preservação do planeta.

“Vamos aproveitar a oportunidade para pensar no consumo inteligente de uma maneira mais profunda, em diversas áreas. A Ampla entende que a inovação e novas tecnologias são fatores importantes para o desenvolvimento energético sustentável e para a sociedade”, explica o responsável pela Ampla, Marcelo Llévenes.

Um comitê avaliador composto por representantes da Ampla das universidades especialistas em Crowdsourcing e do escritório de arquitetura Studio Arthur Casas, que ficará responsável pela concepção final do projeto, definirá as ideias que serão efetivamente aplicadas. Os usuários que mais interagirem na plataforma ganham prêmios como uma viagem para Expo Milano 2015, principal evento internacional de inovação e tecnologia que ocorre em Roma, que conta com patrocínio da Enel.

Mobilidade urbana, combustíveis menos poluentes e mais

Vários temas serão abordados na fase de Crowdsourcing: de mobilidade urbana a combustíveis menos poluentes, de inovação a economia colaborativa, de arquitetura verde e design a saúde e bem-estar. Em comum entre eles, surge a ótica da sustentabilidade e a perspectiva de um novo consumidor consciente de seu papel na preservação dos recursos naturais.

A Innocentive, uma das maiores plataformas de Crowdsourcing do mundo, vai participar da iniciativa desenvolvendo soluções para ideias inovadoras que surgirem durante a construção colaborativa do N.O.V.A. “Envolver os mais de 13 milhões de experts de nossa plataforma na busca de soluções dos diversos aspectos relacionados à casa do futuro é missão nobre e de caráter humanitário”, afirma Ari Piovezani, CEO da Innocentive Latin America.

A segunda fase do projeto será marcada pela construção da moradia, com previsão de conclusão em 2016. Finalizada a obra, o espaço será utilizado pela Ampla para estudos de eficiência energética, além de funcionar como um “living lab”, testando novas experiências de consumo e convivência num modelo inédito. A casa será habitada por pessoas dispostas a colaborar com o projeto Nós Vivemos o Amanhã, que tem o objetivo de estudar o impacto da mudança de hábitos e da tecnologia no dia a dia.

A moradia do futuro

Situada numa área cedida pela Prefeitura de Niterói, ao lado da Concha Acústica, a casa do futuro da Ampla será projetada pelo escritório de arquitetura Studio Arthur Casas. “Participar do projeto nos traz a oportunidade de desenvolver soluções que serão incorporadas ao nosso conceito de arquitetura residencial e nos engaja como co-responsáveis na disseminação de ideias e soluções de problemas que o homem enfrentará em sua relação com o espaço e o meio ambiente nos próximos 50 anos”, afirma Arthur Casas.

Segundo o vice-prefeito de Niterói, Axel Grael, a casa será construída em um parque que será revitalizado para o lazer. “A construção da casa marca o início de uma revitalização urbana semelhante ao Porto Maravilha, no Rio, e busca reflexões para questões como lixo, resíduos, eficiência energética, entre outras, o que deverá atrair um público que pensa o futuro da cidade”, explicou.

O arquiteto Arthur Casas acredita que a plataforma de Crowdsourcing pode definir parâmetros para futuros projetos de Arquitetura. “Vamos decodificar as informações para tentar entender os desejos das pessoas”, opinou. Casas acrescenta que o tempo médio que ele leva para pensar um projeto é de um dia e meio. “Mas, desta vez, só quando tivermos algumas informações reunidas é que teremos condições de começar o processo de criação”, explica.

A Ampla reunirá, neste projeto, diversos parceiros. Além da PUC, FGV, Prefeitura de Niterói, In Press Porter Novelli, InnoCentive, Studio Arthur Casas, participarão do projeto Prátil –  empresa do Grupo Enel especializada em soluções inteligentes em energia – a Mutopo, especializada em Crowdsourcing, Benfeitoria, empresa de crowdfunding, Touch, estúdio de design digital, e Noorden, de gestão de projetos, dentre outros.

Cupons de desconto TecMundo: