A popularidade dos serviços de streaming é crescente – o sucesso deles é tamanho, inclusive, que gravadoras têm pressionado empresas como Spotify a encerrar de uma vez as assinaturas gratuitas do serviço (entenda). E outra opção a quem busca ouvir de músicas via web acabou de ser anunciada.

Idealizado por ninguém menos que Kim Dotcom (conheça toda a novela protagonizada pelo figurão nesta página), Baboom foi finalmente lançado e, como diferencial, promete investir em “transparência”. É que o pagamento dos artistas será feito de modo direto, sem intermediários, e 90% do lucro angariado pela plataforma serão repassados aos músicos.

O sistema de distribuição de receita é diferente do adotado pela maioria dos serviços concorrentes, que paga o artista de acordo com sua popularidade e através de intermediadores. “Autores têm dificuldades em ser recompensados por seu trabalho. É por isso que Baboom permite o pagamento direto a cada escritor, intérprete ou detentor dos direitos autorais. O dinheiro é dividido a partir da fonte. É simples assim!”, diz a narração do vídeo de lançamento da plataforma.

Interatividade parece ser outra das premissas sobre a qual o Baboom se debruça: acompanhar feeds de notícias de cantores, construir bases de fãs e criar eventos exclusivos com direito a bilheterias customizadas são outras das opções aos quais assinantes do serviço têm acesso.

Tipos de assinatura

São dois os tipos de assinatura: na standard, a reprodução de músicas pode ser feita de modo gratuito; propagandas, porém, serão tocadas durante o intervalo entre as faixas. Criar coleções com até 100 músicas e comprar álbuns disponibilizados por Baboom são recursos que podem ser utilizados também gratuitamente.

No pacote premium, a mensalidade de US$ 10 habilita o ouvinte a criar coleções sem tipo algum de limitação, reproduzir o app em vários dispositivos e ter acesso a “experiências exclusivas” – tais como a organização de eventos e emissão de bilhetes customizados.

A biblioteca do serviço ainda está sendo consolidada e não conta, naturalmente, com as milhares de faixas e álbuns listadas por plataformas como Spotify e Apple Music. Mas é preciso reconhecer: dados os constantes embates entre artistas e gravadoras no quesito pagamento pelos direitos do álbum gravado, Baboom, ao direcionar 90% do lucro ao responsável pelos direitos autorais, pode rapidamente conquistar simpatia por parte de artistas e consumidores. 

Foco nos independentes

O Baboom é uma plataforma de streaming e de venda de música voltada para artistas independentes. O usuário pode seguir sua banda local, descobrir novos músicos que não estão no rádio e ainda apoiá-los financeiramente de várias formas. Vale a pena visitar e conferir.

Quais serviços de streaming você assina? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: