Uma das figuras mais admiradas da indústria da tecnologia é, ao mesmo tempo, uma das mais controversas. Steve Jobs cofundou a Apple, foi demitido da própria empresa e voltou para transformá-la em uma referência mundial em vários setores.

Apesar de ser creditado como a grande mente por trás de produtos como Mac, iPod, iPhone e iPad, seu temperamento e a forma com que tratava vários dos funcionários — além de não dar o devido crédito para eles em muitas situações – contribuiu para criar uma imagem única para Jobs.

Após conhecer um pouco mais sobre Bill Gates, agora você confere algumas curiosidades sobre a vida e a obra desse ícone da Maçã. A maior parte dos fatos listados foi revelado ao público logo após a morte do executivo, especialmente no livro “Steve Jobs”, a biografia escrita por Walter Isaacson.

1) Família Jandali

Steve era adotado. Seus pais biológicos eram os universitários Joanne Carole Schieble, descendente de alemães e suíços, e Abdulfattah Jandali, que nasceu na Síria. O pai de Joanne era contra o casamento e o bebê foi colocado para adoção, sendo acolhido pela família Jobs. O casal se reuniu tempos depois e até tiveram uma filha.

2) Sem curso superior

Assim como o confundador da Microsoft, Steve Jobs não se formou na universidade — mas isso não significa que não gostava de educação ou conhecimento. Ele fez só um semestre no Reed College e largou os estudos, pois ficou entediado e não queria gastar o dinheiro dos pais fazendo o que não queria. Porém, continuou por mais um ano e meio no lugar em aulas que despertaram o seu interesse, como caligrafia e até dança.

3) Sem banho

Não foram poucas as pessoas que falaram para o jovem Steve Jobs tomar um banho. O cofundador da Apple não gostava muito da prática e muita gente reclamava de seu mau cheiro. Quando trabalhava na Atari, em 1974, até foi transferido para o turno da noite para que menos gente fosse... “prejudicada”.

4) Malandragem

Um dos primeiros trabalhos em dupla de Jobs e Steve Wozniak foi vender equipamentos chamados de bluebox, que permitiam a qualquer pessoa fazer ligações telefônicas de graça. Eles lucraram cerca de 6 mil dólares nessa brincadeira.

5) Criando uma identidade

Calça jeans azul e moletom preto de gola rolê é praticamente uma fantasia de Jobs — e essa roupa tem uma história interessante. Nos anos 1980, ele conheceu o designer japonês Issey Miyake, que desenhou uniformes para fábricas da Sony. Jobs sugeriu o mesmo para a Apple, mas a ideia foi completamente rejeitada. Em seguida, o executivo pediu pra Miyake fazer uma roupa só para ele que fosse uma espécie de marca registrada ou identidade. Jobs tinha mais de 100 unidades do mesmo agasalho.

6) Religião

Quando criança, Jobs ia à igreja luterana com os pais todos os domingos até ver uma foto na revista LIFE mostrando crianças passando fome: nesse momento, ele não admitiu que um Deus permitisse esse tipo de sofrimento. Mais tarde, praticou o budismo durante vários anos, chegando a passar um tempo na Índia em uma espécie de jornada pessoal. Ele nunca deixou a meditação zen de lado e, ao biógrafo, disse que talvez houvesse 50% de chances de existir um deus.

7) De ouvidos

A lista a seguir contém alguns dos músicos favoritos de Jobs e que não faltavam em seu iPod. Alicia Keys, Aretha Franklin, Beatles, Black Eyed Peas, Bob Dylan, Buddy Holly, The Doors, Janis Joplin, John Mayer e Talking Heads.

8) Último suspiro

Nada de produtos comerciais: o último projeto de Jobs foi o iate Venus, que ele encomendou com a ajuda do renomado designer francês Philippe Starck. Com 80 metros de comprimento e um custo de mais de US$ 300 milhões, o veículo ficou pronto um ano após a sua morte e hoje pertence à família de Steve. Ele é flagrado volta e meia próximo a alguma ilha paradisíaca.

Cupons de desconto TecMundo: