(Fonte da imagem: Wikimedia Commons)

Que Steve Jobs foi um dos maiores nomes da tecnologia, ninguém pode negar. Contudo, sua influência ia além da indústria e, por isso, o próprio governo dos Estados Unidos decidiu ficar de olho no cofundador da Apple. O resultado foi um dossiê feito pelo FBI revelando todos os "segredos" de uma das pessoas mais importantes da última década.

O documento foi liberado nesta quarta-feira e pode ser conferido por meio deste link. Apesar de soar como algo confidencial ou repleto de segredos, as revelações não chegam a ser nenhuma surpresa para quem acompanhou o trabalho de Jobs ao longo dos anos. Muitas das coisas consideradas mais pesadas, por exemplo, também foram contadas pelo próprio Steve em sua biografia, escrita por Walter Isaacson.

Por que investigar Jobs?

O ano era 1991 e o conselho de assuntos exteriores do então presidente norte-americano, George Bush, decidiu saber mais sobre um dos homens que criou a famosa empresa, mas que, por alguma razão, havia sido deposto de seu cargo. Ainda sob a sombra da Guerra Fria, a própria agência de investigação do governo foi atrás de informações que pudessem mostrar que Jobs podia ser algum tipo de ameaça ou se aliar a algum dos países inimigos.

Porém, nada foi descoberto que pudesse incriminar o cofundador da Apple. Com exceção de sua experiência com drogas — Jobs já havia declarado publicamente que utilizara LSD em diversas ocasiões — e o fato de possuir uma filha fora do casamento, nada foi encontrado.

Cupons de desconto TecMundo: