Você já deve estar ciente do embate entre Taylor Swift e o Spotify. Segundo a cantora mais badalada dos EUA na atualidade, oserviço de streaming não paga o suficiente pelas músicas dela e, por isso, toda a sua discografia foi removida de lá. O Spotify chegou a dizer que estava estimando pagar a ela cerca de US$ 6 milhões neste ano, mas sua gravadora disse que recebeu apenas US$ 500 mil no último ano. E agora? Em quem acreditar?

Na verdade, as duas informações são verdadeiras e, pelo que parece, há algum motivo além desses valores para que Taylor Swift tenha saído do Spotify. A moça só começou a fazer um sucesso estrondoso de verdade nos EUA com seu último álbum “1989”, que nunca esteve no Spotify. Por isso, os valores pagos a ela podem ser considerados menores do que o esperado.

Esses US$ 500 mil foram pagos em relação apenas ao mercado de streaming do Spotify nos EUA. Globalmente, ela recebeu mais de US$ 2 milhões do serviço pelos álbuns antigos que estavam disponíveis para execução no ano passado.

Ela saiu antes de receber a bolada

Quando Swift removeu sua discografia do serviço, o Spotify comentou que destinava boa parte da sua receita para as gravadoras dos artistas e que, para o período entre 2014 e 2015, estimava pagar à ela cerca de US$ 6 milhões, isso sem levar em conta o novo álbum que tem feito muito sucesso internacionalmente nas últimas semanas.

No fim das contas, toda essa briga entre Taylor Swift e o Spotify podem ser resultado de uma estratégia de mercado da gravadora da artista. Como ela está fazendo muito sucesso nos últimos tempos, é mais lucrativo vender faixas e álbuns inteiros do que deixar esse conteúdo para ser executado efemeramente em serviços de streaming. 

Cupons de desconto TecMundo: