(Fonte da imagem: iStock)

Você pode até pensar que o spam diminuiu nos últimos tempos, graças aos sistemas de bloqueio dos emails, mas isso não quer dizer que eles enfraqueceram. Na verdade, eles apenas mudaram de alvo.

Agora, eles estão atacando as redes sociais – e em peso, segundo o Bloomberg Businessweek. Atualmente, duas em cada cinco contas de sites como Facebook e Twitter são criadas apenas para enviar spams, gerando um total de 8% de todas as mensagens enviadas no serviço; o dobro do volume dos últimos seis meses.

Mark Risher, chefe executivo da empresa de anti-spam Impermium, explica que o motivo para isso é o mesmo que ocorreu quando os spams começaram a aparecer nos emails: as redes sociais não estão preparadas para lidar com um volume tão grande de informações. “Spams sociais podem ser muito mais efetivos que o spam de email”, disse ele.

Por sorte, esse fluxo pode diminuir no futuro, já que vários sites estão processando empresas dedicadas a isso. O Facebook e o Twitter, por exemplo, contrataram pessoas especializadas em programação e segurança para bloquear essa invasão, enquanto que o Pinterest criou um botão para denunciar spammers. Mas será que isso é suficiente? Só saberemos com o tempo.

Fonte: Bloomberg Businessweek

Cupons de desconto TecMundo: