Após a catástrofe no lançamento do Falcon 9, o foguete da SpaceX que carregaria o satélite israelense Amos-6 até a órbita da Terra, a empresa entrou em um hiato para analisar o possível erro que pode ter causado o acidente. Porém, ao chegar próximo da resposta sobre o que teria falhado durante o procedimento, Elon Musk, o fundador da companhia e cabeça por trás dessas ideias megalomaníacas de conquista do espaço, já considera realizar mais testes ainda em 2016.

Segundo foi revelado, o problema todo pode ter ocorrido por um defeito que causou a violação do sistema de hélio no segundo estágio do tanque de oxigênio líquido do foguete. A análise precisa apenas descobrir qual dos três recipientes de pressão compostos gerou a falha que causou a explosão.

Corrigindo problemas

Justamente por isso, a SpaceX declarou que aguarda apenas o final dos testes para voltar a colocar seus dispositivos no espaço ainda esse ano, caso tudo dê certo. Os dois focos dos trabalhos da companhia são: encontrar a causa exata do acidente e desenvolver condições melhores no carregamento de hélio para as espaçonaves.

É possível que empresa volte a ganhar a confiança de seus parceiros para tocar em frente tantos projetos dos quais faz parte

Caso a SpaceX volte ainda esse ano a realizar lançamentos, é possível que empresa volte a ganhar a confiança de seus parceiros para tocar em frente tantos projetos dos quais faz parte, principalmente os mais interessantes e preocupantes deles: o envio de pessoas para a Estação Espacial Internacional e, a médio prazo, para o planeta Marte.

Falcon 9

Cupons de desconto TecMundo: