O Xperia M5 da Sony pode ser considerado basicamente o top de linha alternativo da empresa, já que a os três modelos da família Z5 chegaram ao Brasil com preços absurdamente proibitivos. Não que o M5 seja barato — ele não é! —, mas está sendo vendido por um valor muito mais realista no mercado nacional.

O que mais chama atenção nesse modelo é o conjunto de câmeras, que impressiona pela quantidade de megapixels, tanto na parte da frente quanto na parte de trás. Mas será que isso realmente faz a diferença na hora da compra?

Design

A Sony tem se comprometido ao seu design “Omni-Balance” há alguns anos, e o M5 segue de perto essa linguagem visual. Ele conta com um perfil muito fino e linhas bem retas, sendo coberto por vidro Gorilla Glass nas faces frontal e traseira Os cantos são feitos em aço inoxidável, e o restante das bordas é de plástico brilhoso.

Apesar de as bordas não serem completamente feitas de metal, o smartphone passa uma sensação muito boa nas mãos, sendo rígido e, aparentemente, durável. Isso não quer dizer, entretanto, que ele vá resistir muito bem a quedas. Nesse aspecto, a Sony só garante que o corpo do M5 é à prova d’água e poeira, tendo certificação IP65/68.

Diferente do que você poderia imaginar apenas olhando o smartphone passageiramente, o som não é estéreo. Ele tem duas aberturas na parte da frente, mas elas não acomodam alto-alantes. O som mono no M5 sai todo por um orifício na parte de baixo. De resto, chama a atenção o tamanho da câmera frontal, que é bem grande.

Desempenho

Em questão de desempenho, o Xperia M5 consegue dar conta de praticamente qualquer tarefa a que você desejar submetê-lo. Ele traz um poderoso processador octa-core MediaTek Helio X10 de 2,0 GHz e ainda é acompanhado de 3 GB de RAM. Isso é suficiente para lidar com games pesados e muitos apps abertos ao mesmo tempo.

Em nossos testes, o M5 garantiu uma ótima usabilidade, sempre abrindo, fechando e alternado entre apps com muita agilidade. Em alguns momentos, entretanto, ele mostrou alguns travamentos e fechamentos inesperados de apps. Netflix, Google Chrome e principalmente Snapchat foram os mais afetados. Suspeitamos que isso seja algum tipo de problema de compatibilidade do processador com os apps, o que pode ser resolvido com atualizações futuras.

Já no campo dos games, testamos o produto com vários títulos, incluindo Horizon Chase, NFS: Most Wanted e Modern Combat 5. Todos rodaram com perfeição, sem qualquer travamento ou lentidão. Ainda assim, é interessante notar que o aparelho esquenta um pouco em uma das laterais quando submetido a uso intenso.

Benchmarks

Para a realização desta análise, submetemos o Xperia M5 a cinco aplicativos de benchmark. 3D Mark (Ice Storm Unlimited), AnTuTu Benchmark 5Basemark XGFX Bench (T-Rex HD Off Screen e T-Rex HD On Screen) e Vellamo Mobile Benchmark (HTML 5 e Metal).

3D Mark (Ice Storm Unlimited)

O teste Ice Storm Unlimited, do 3D Mark, é utilizado para fazer comparações diretas entre processadores e GPUs. Fatores como resolução do display podem afetar o resultado final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

AnTuTu Benchmark 5

Um dos aplicativos de benchmark mais conceituados em sua categoria, o AnTuTu Benchmark 4 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são somados e geram uma pontuação final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Basemark X

O Basemark X tem como foco principal mensurar a qualidade gráfica dos dispositivos. Baseado na engine Unity 4, o app aplica testes de alta densidade, mostrando qual dos aparelhos se sai melhor na execução de jogos. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

GFX Bench (T-Rex HD)

O GFX Bench é voltado para mensurar a qualidade gráfica. Isso inclui itens como estabilidade de desempenho, qualidade de renderização e consumo de energia. Os resultados são revelados em média de frames por segundo (fps). Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Vellamo Mobile Benchmark

O Vellamo Mobile Benchmark aplica dois testes no aparelho: HTML5 e Metal. No primeiro deles é avaliado o desempenho do celular no acesso direto à internet via browser. Já no teste Metal, o número final indica a performance do processador. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Tela

A Sony embarcou neste modelo um display de 5,0 polegadas, o que é encarado por muitos como o tamanho ideal para um smartphone. Você tem uma tela espaçosa e, ao mesmo tempo, consegue lidar bem com o dispositivo nas mãos sem esforço. Isso garante uma experiência bem equilibrada no dia a dia.

O que pode não agradar muito são os níveis de brilho. É muito provável que você sofra um pouco para usar esse dispositivo ao ar livre em um dia de sol forte. Isso acontece por uma combinação de três fatores: o vidro é mais reflexivo que o normal, o brilho máximo não é tão forte e o ajuste automático de luminosidade trabalha lentamente.

Mesmo assim, a reprodução das cores em situações normais é praticamente perfeita, com uma aparência muito natural o tempo todo, sem tender para a saturação excessiva ou para o os tons aguados. Isso torna o aparelho ideal para ver fotos e também para assistir a vídeos.

Software

O Xperia M5 vem com o Lollipop 5.0 de fábrica e a interface-padrão da Sony por cima. O design não foge muito da estrutura do Android puro, mas o visual é diferente, com muitas personalizações nos ícones e nas transições. Basicamente, a fabricante dá uma polida em tudo, acrescentando um pouco de transparência ao Material Design da Google.

A área de notificações é praticamente igual ao que vemos no software original, diferindo em alguns ícones que, o mais importante, podem ser editados. Você escolhe aonde cada atalho vai e quais devem ser exibidos. Essas alterações são muito positivas no geral e agregam mais funcionalidade ao sistema sem deixar a parte gráfica feia.

Por outro lado, a Sony pesou a mão na instalação de apps extras. Ao todo, são 19 aplicativos dispensáveis pré-carregados no celular. Alguns até são úteis, e muitos usuários os instalariam de qualquer forma, como Facebook. Contudo, você encontra ainda AVG, Crackle, Kobo e vários games não muito interessantes para todo mundo.

Câmeras

O maior destaque do M5 é o seu conjunto de câmeras. A Sony diz que, somando a quantidade de megapixels dos dois sensores, este aparelho tem a maior resolução do mercado global de aparelhos Android. São 13 MP na frente e 21,5 na parte de trás. Esses números realmente impressionam, e as fotos produzidas pelo aparelho também têm boa qualidade.

Contudo, não dá para dizer que essas câmeras são as melhores do mercado de smartphones. Aparelhos como o Galaxy Note 5 (que já pode ser encontrado à venda pelo mesmo preço do Xperia M5) conseguem fazer imagens consideravelmente melhores com câmeras de resolução menor. Portanto, a quantidade de MPs nunca deve encarada como parâmetro definitivo.

Apesar disso, não queremos dizer que as fotos capturadas pelo M5 são medíocres ou coisa assim. Bem pelo contrário. O smartphone traz resultados excelentes e mostra sua capacidade tanto em ambientes escuros quanto em lugares com muita luz. É difícil fazer uma foto ruim com o M5.

O app de câmera, por sua vez, pode ser um pouco lento para processar as capturas, algo que não deveria acontecer de forma alguma em um aparelho de R$ 2,6 mil. Mesmo assim, ele conta com uma alta gama de recursos de fotografia, permitindo inclusive instalar novos complementos. É certamente o app de câmera mais versátil do mercado.

Bateria

A autonomia de bateria dos smartphones da Sony é normalmente muito boa, e o M5 é a prova viva disso. Você consegue usar esse smartphone de forma intensa ou mediana sem acabar com toda a carga em um dia. Isso quer dizer que você pode jogar bastante ou navegar pela web e usar apps de redes sociais sem se preocupar muito.

A Sony até anuncia o M5 como “o aparelho que fica dois dias sem precisar ser carregado”, mas, na vida real, a autonomia dele raramente chega a um dia e meio.

De qualquer forma, em nossos testes técnicos, esgotamos toda a bateria (de 2.600 mAh) em 5 horas de execução de vídeo no YouTubecom WiFi ligado e brilho da tela no máximo. Essa é uma marca muito boa para um smartphone tão fino quanto este.

Vale a pena?

Para quem não tem R$ 4 mil para gastar no verdadeiro top de linha da Sony, o Xperia Z5, a marca oferece o Xperia M5. Ele é um aparelho bem mais modesto, mas ainda tem hardware suficiente para acompanhar a concorrência.

O smartphone traz uma ótima autonomia de bateria e uma tela bonita de tamanho ideal. O conjunto de câmeras é bastante confiável, e vale lembrar que o modelo nacional do M5 vem com TV digital, rádio FM, dual-SIM e é à prova d’água.

O problema é que o aparelho tem alguns defeitinhos que um smartphone de R$ 2.599 reais não deveria ter.Nós passamos por vários travamentos e congelamentos de tela em nossos testes, e a quantidade de apps pré-instalados é incômoda. A qualidade da construção é um destaque positivo, mas, por esse preço, a Sony bem que poderia entregar bordas inteiramente de metal, e não apenas os cantos.

Alguns concorrentes, como Moto X Style, Galaxy S6 ou até o novíssimo Lumia 950, são mais baratos que o M5 e, ainda assim, oferecem um conjunto geral muito mais satisfatório que o modelo da Sony. Por esse valor, o Xperia M5 tinha que entregar uma experiência quase perfeita para o usuário. Como isso não acontece, não podemos recomendá-lo enquanto seu preço não for condizente com o que ele realmente é: um intermediário premium.

Onde comprar: Cissa Magazine, Extra, Casas Bahia e Walmart.

O que você achou do Sony Xperia M5? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: