O mercado de smartphones intermediários não para de crescer. Praticamente todos os fabricantes possuem ao menos um dispositivo que se enquadra nessa faixa de hardware e com preço que varia entre R$ 600 e R$ 900. Muitas empresas, inclusive, trabalham com mais de uma opção nessa categoria, como é o caso da Sony.

A empresa japonesa está trazendo para o mercado nacional o modelo Xperia M2, um aparelho com tela de 4,8 polegadas, processador Qualcomm Snapdragon 400 e 1 GB de RAM. O dispositivo, que atualiza o popular Xperia M, chega às lojas nacionais com preço sugerido de R$ 899. Será que vale a pena levar o novo Xperia M2 para casa? As nossas impressões sobre o smartphone são o que você confere nesta análise.

Testes de benchmark

Para a realização desta análise, submetemos o Sony Xperia M2 a quatro aplicativos de benchmark. São eles: 3D Mark (Ice Storm Unlimited), AnTuTu Benchmark 4, GFX Bench (T-Rex HD Off Screen e T-Rex HD On Screen) e Vellamo Mobile Benchmark (HTML 5 e Metal). Para efeito de comparação, submetemos aos mesmos testes os seguintes smartphones: Motorola Moto G, LG G2 Mini e Gradiente Iphone C600.

3D Mark (Ice Storm Unlimited)

O teste Ice Storm Unlimited, do 3D Mark, é utilizado para fazer comparações diretas entre processadores e GPUs. Fatores como resolução do display podem afetar o resultado final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

AnTuTu Benchmark 4

Um dos aplicativos de benchmark mais conceituados em sua categoria, o AnTuTu Benchmark 4 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Os resultados são somados e geram uma pontuação final. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

GFX Bench (T-Rex HD Offscreen e T-Rex HD Onscreen)

O GFX Bench é voltado para mensurar a qualidade gráfica. Isso inclui itens como estabilidade de desempenho, qualidade de renderização e consumo de energia. Os resultados são revelados em média de frames por segundo (FPS). Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Vellamo Mobile Benchmark (HTML 5 e Metal)

O Vellamo Mobile Benchmark aplica dois testes ao aparelho: HTML5 e Metal. No primeiro deles é avaliado o desempenho do celular no acesso direto à internet via browser. Já no teste Metal, o número final indica a performance do processador. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

Design

Embora siga a mesma linha de desenvolvimento dos principais aparelhos da marca, como os top de linha Xperia Z1 e Xperia Z2, é notória a economia em alguns itens como forma de apresentar um produto de qualidade a um preço mais acessível. A parte traseira é construída em policarbonato e conta com uma película protetora.

Na lateral direita, o botão power se destaca de forma proeminente. Além disso, há ainda outros dois botões: um para controle de volume e outro dedicado à câmera. Neste mesmo lado há ainda uma tampa que pode ser aberta para inserção do SIM card e do cartão micro SD. Na lateral esquerda está o conector micro USB e na parte superior encontra-se a saída para fones de ouvido.

Anatômico, mesmo com os botões ao longo de toda a lateral, ao segurá-lo firmemente com uma das mãos é raro que aconteça algum toque acidental. Na parte traseira, por conta do acabamento escolhido pela empresa, o produto fica muito suscetível a marcas de digitais e, em razão disso, frequentemente você terá a sensação que ele está um pouco “engordurado”.

Tela

Em momento algum de nossos testes encontramos características de uso que possam comprometer a fidelidade de cores ou a qualidade de imagem no Xperia M2. Obviamente, é preciso levar em consideração a sua proposta e as suas limitações técnicas, uma vez que a tela TFT de 4,8 polegadas tem resolução de 960x540 pixels – o que resulta numa densidade de pixels de 229 ppi.

Apesar dessa limitação, o modelo conta com o sensor ambient light, o que faz com que a iluminação da tela seja ajustada de forma automática, de acordo com a luminosidade do ambiente em que você está. Ainda assim, em muitos momentos o alto nível de reflexividade da tela poderá fazer com que você se sinta desconfortável, em especial em jogos que utilizem os sensores de movimento.

Por fim, há outra característica que pode passar despercebida, mas que pode influenciar durante o uso sem que você se dê conta do motivo. A tela do Xperia M2 não conta com uma cobertura oleofóbica, o que acaba resultando em muitas marcas de digitais sobre a superfície. Com o uso constante, você poderá até sentir leves enroscadas do seu dedo durante o deslize sobre o display.

Interface e desempenho

O Xperia M2 conta com a versão 4.3 do Android e, segundo a Sony, ele está na lista dos que deverão também receber a atualização para o KitKat. A exemplo do que já faz em outros smartphones da linha, a empresa utiliza um launcher próprio e acrescenta diversos aplicativos exclusivos – felizmente, a maioria deles bastante úteis. Os widgets de câmera e a função Walkman são dois bons exemplos.

Em termos de desempenho, tudo aquilo que se espera de um aparelho com processador quad-core e 1 GB de RAM é correspondido. Em nossos testes, foi possível rodar com tranquilidade jogos como GT Racing 2 e Minion Rush sem travamentos. Da mesma forma, assistir a filmes e séries no app do Netflix também foi uma tarefa executada com normalidade.

A transição entre apps flui de maneira satisfatória, mas, caso você exija demais do aparelho, em alguns momentos poderá enfrentar alguns leves travamentos, porém nada que incomode. Em linhas gerais, dificilmente você vai ficar na mão com um Xperia M2 por um período de pelo menos 12 meses. Suporte a NFC e Rádio FM são outras duas características interessantes do produto.

Câmera

Esse é mais um quesito em que o Xperia M2 se comporta dentro do esperado. O aparelho conta com uma câmera traseira de 8 megapixels e há também um flash LED, que auxilia na captura de imagens em ambientes com baixa luminosidade. Nas fotos diurnas o resultado é satisfatório, com poucos ruídos nas imagens e uma paleta de cores com fidelidade muito próxima à de smartphones com recursos mais potentes.

Na captura de vídeos em 1080p, outro recurso se destaca: utilizando um microfone secundário para gravação, o nível de ruído sonoro acaba sendo bastante atenuado. Além disso, vale a menção ao fato de que o aparelho conta com um botão físico dedicado à câmera, o que torna tudo mais simples na hora de capturar imagens.

Foto capturada com a câmera traseira do Xperia M2

Por fim, a Sony disponibiliza uma série de aplicativos exclusivos para a sua câmera, com funções diferenciadas. Por meio da loja de aplicativos da Sony, é possível baixar novos apps de acordo com a disponibilidade e compatibilidade, garantindo um número maior de recursos à ferramenta do que o oferecido por outros aparelhos da mesma faixa de preço.

Duração de bateria

Entre todas as características do Xperia M2, certamente a duração de bateria é o item que mais vai deixar satisfeitos os seus consumidores. A capacidade chega aos 2.330 mAh, valor suficiente para colocá-lo no páreo até mesmo com aparelhos top de linha. Num comparativo direto com o Moto G, principal concorrente da categoria, seu consumo é um pouco maior, mas, como a capacidade é um pouco maior, o resultado final acaba sendo equivalente ou, em muitos momentos, favorável ao aparelho da Sony.

Em nossos testes foi possível passar o dia todo com o aparelho, em uso moderado, – navegação na internet, visualização de emails, acesso a redes sociais e troca de mensagens via WhatsApp. Iniciando o uso às 9h, chegamos às 22h com cerca de 30% da carga cheia. Em uso mais intenso, dois ou três filmes em HD vistos na sequência são suficientes para drenar por completo a carga do aparelho.

Por fim, o  Xperia M2 mantém o já conhecido modo Stamina, presente nos produtos da linha Xperia. O recurso permite economizar ainda mais a carga de bateria, em especial nos momentos em que o smartphone está ocioso. No final das contas, quando bem administrado, o modo garante um desempenho pelo menos 20% melhor.

Qualidade de áudio

A Sony é uma das poucas fabricantes que dá uma atenção especial para o quesito qualidade de áudio. Embora o Xperia M2 não seja nenhum campeão nesse aspecto, o aparelho dispõe de modos interessantes de equalização. O alto-falante está localizado na parte de baixo do aparelho e há um nível baixo de distorção sonora mesmo com o volume no máximo, o que é um ótimo sinal. O Xperia M2 não vem acompanhado de fones de ouvido.

Vale a pena?

O Xperia M2 tem tudo para se tornar um smartphone competitivo dentro do seu segmento. Entretanto, ao menos no lançamento, o preço oficial do smartphone pode assustar um pouco consumidores que pesquisarem opções similares. Em se tratando de custo-benefício, ainda há alternativas mais acessíveis, como é o caso do Moto G.

Contudo, tecnicamente o Xperia M2 briga de igual para igual com qualquer outro aparelho concorrente. O desempenho do processador Qualcomm Snapdragon 400 com 1 GB de RAM supre as principais necessidades do usuário, não apresentando travamentos ou atrasos no tempo de resposta em nenhum momento. A durabilidade da bateria e os bons resultados obtidos com a câmera traseira são outros pontos fortes do smartphone.

Entretanto, apontamos algumas ressalvas na tela, em especial pela facilidade com que as marcas de digitais se fixam no display. O uso contínuo, em alguns momentos, pode fazer com que você sinta a sensação de travamento por conta da ausência de uma camada oleofóbica. A sensação de ver o seu dedo “enroscar” durante o deslize na tela não é das mais agradáveis.

O Xperia M2 prova definitivamente que hoje já não é mais preciso ter um celular top de linha para rodar sem muitas dificuldades praticamente tudo o que existe disponível na Play Store. Com um preço um pouco mais em conta, certamente temos um bom candidato a brigar pela preferência do consumidor dentro da categoria.

Cupons de desconto TecMundo: