Embora ainda conte com opções mais restritas que o exterior, nos últimos anos o mercado nacional de equipamentos de áudio de alto desempenho está recebendo mais atenção das empresas que atuam na área. Se antes as lojas possuíam somente algum modelo mais antigo da Sennheiser, atualmente muitos dos grandes lançamentos de marcas como Sony e Philips chegam ao Brasil de maneira quase simultânea aos Estados Unidos e a Europa.

A chegada oficial do MDR-1A da Sony ao país é prova de que esse tipo de equipamento, embora ainda tenha preços pouco acessíveis, já desperta interesse entre os entusiastas. O fone de ouvido é o sucessor do modelo MDR-1R e promete entregar uma experiência de alta definição a quem está disposto a pagar caro por isso.

Ao contrário de produtos como o Fidelio L2, o novo dispositivo não tem a pretensão de reproduzir sons de maneira neutra. Seguindo tendências de mercado, o dispositivo prioriza os tons graves, mas faz isso de maneira a prejudicar o mínimo possível os demais elementos que constituem uma música.

Design

O MDR-1A tem um visual bastante tradicional, apostando na cor preta — com alguns poucos detalhes em vermelho — para passar uma sensação de sobriedade. O fone de ouvido aposta em componentes com tamanho médio e em uma haste central bastante ajustável, o que permite a pessoas com cabeças relativamente grandes usar o produto sem grandes problemas.

Se na parte visual o produto não chama tanta atenção quanto um produto da linha Beats, seu acabamento surpreende positivamente. O produto é quase inteiro construído em metal, com exceção de algumas partes que têm acabamento em plástico. As conchas acústicas e a haste central são revestidas com couro sintético macio, o que colabora tanto para o conforto do usuário quanto para trazer uma aparência Premium ao acessório.

As saídas de som podem ser rotacionadas em quase 120° na horizontal, o que garante diversas possibilidades de ajuste do fone de ouvido. Isso também garante que o novo modelo possa repousar de maneira confortável em volta do pescoço quando ele não está sendo usado, algo que não era possível no MDR-1R.

Além do fone de ouvido, a embalagem acompanha uma bolsa de transporte construída em materiais resistentes e que tem espaços dedicados aos dois cabos que acompanham o dispositivo — ambos removíveis. A principal diferença entre os dois acessórios é o fato de que somente um deles acompanha um botão Play/Pause e um microfone integrado.

Desempenho

O Sony MDR-1A é um produto que surpreende por seu peso leve, que traz como benefício a possibilidade de usá-lo durante horas sem nenhum incômodo. O design fechado do produto significa que ele cobre totalmente as orelhas durante o uso, o que contribui para isolar ruídos exteriores, mas prejudica um pouco o palco sonoro do produto.

Conforme a fabricante deixa claro, o intuito do fone de ouvido não é reproduzir músicas de maneira neutra, o que pudemos comprovar na prática. O aparelho apresenta graves de qualidade que são destacados em relação a outras frequências, sem que elas fiquem apagadas por conta disso — problema comum em dispositivos da categoria que têm drivers de baixa qualidade.

A experiência geral é boa, especialmente para quem gosta de escutar músicas de forma energética. No entanto, é evidente que há certas perdas em músicas acústicas, principalmente naquelas em que o violão tem papel de protagonista. No entanto, quem gosta de gêneros como o hip hop e o pop não vai ter do que reclamar, já que o produto se adapta muito bem a eles.

Mesmo usado em sua capacidade máxima — que pode ser um tanto ensurdecedora —, o MDR-1A não apresentou qualquer espécie de distorção. O palco sonoro é bom para um acessório com características fechadas, e basta prestar um pouco de atenção para conseguir diferenciar os diferentes instrumentos que constituem uma canção.

No entanto, o dispositivo da Sony compartilha um problema comum a fones de ouvido com alta impedância: para realmente conseguir aproveitar o que ele tem a oferecer, é indispensável contar com um amplificador dedicado. Durante nossa análise, empregamos o FiiO E06 e pudemos sentir uma diferença notável ao escutar faixas através de um iPod Classic e de um smartphone Android.

Vale a pena?

É difícil argumentar quanto à validade de investir R$ 1.499 em um fone de ouvido de alta qualidade, ainda mais levando em consideração o fato de que muitas pessoas consideram esse tipo de acessório algo dispensável. Dessa forma, nosso julgamento vai levar em consideração não o valor do produto, mas sim o que ele tem a oferecer.

O Sony MDR-1A é um ótimo produto, aliando design de alta qualidade, conforto e um desempenho invejável. Ele só não é recomendado para quem procura experiências mais neutras, visto a prioridade dada a tons graves — caso você prefira sons mais limpos, recomendamos dar mais atenção a alternativas como o Fidelio L2, da Philips.

Avaliado de forma individual, a nova oferta da companhia japonesa é uma das melhores opções de sua categoria disponíveis oficialmente no mercado nacional. No entanto, cabe somente a você decidir se vale a pena ou não investir os salgados R$ 1,499 necessários para poder aproveitar a ótima experiência oferecida pelo produto.

Cupons de desconto TecMundo: