Streamlabs é acusada de plágio após lançamento de novo serviço

3 min de leitura
Imagem de: Streamlabs é acusada de plágio após lançamento de novo serviço
Imagem: Divulgação/Streamlabs
Avatar do autor

Nesta terça-feira (16), a provedora de software e ferramentas para transmissões ao vivo Streamlabs foi acusada de plágio por streamers e outras companhias após revelar sua iniciativa Streamlabs Studio, uma variante do serviço que traz mais configurações para lives no Xbox.

A novidade, lançada em parceria com a Twitch, traz opções de engajamento e overlays ao console, incluindo alertas e widgets, que antes exigiam a transferência do conteúdo por uma placa de captura ao computador para customização.

Além disso, por usar captura em nuvem, clientes podem acessar os recursos de controle no celular e, já que funciona em navegadores, uma máquina poderosa não é necessária para edição.

Porém, logo após o anúncio, a Lighstream, fornecedora de um serviço similar, mas que também funciona em Playstations 4 e 5, denunciou que o material promocional do Streamlabs é uma cópia de seu site.

"Ei, posso copiar o seu dever de casa? Sim, só muda um pouco para que não fique óbvio que copiou", reclamou a companhia, tirando sarro da situação. Além dos textos de descrição de ferramentas serem quase idênticos, a mesma diagramação é usada — apenas as imagens são diferentes.

A sessão de feedback dos usuários também é igual, sendo que a única diferença está nos "elogiadores" diferentes. Stu Grubbs, CEO e cofundador da Lighstream, alegou que até a experiência de usuário no produto foi copiada.

Em resposta ao post de acusação, o Streamlabs admitiu o erro e disse que a página era provisória, foi disponibilizada por um erro e o material já foi corrigido. Mas o streamer Cohh Carnage questionou a justificativa apontando para pequenas alterações no site, como os nomes de clientes elogiando o produto. "Se era temporário, porque criaram novas pessoas para as citações no fim da página?", concluiu.

Além disso, o portal Dot Esports afirmou que recebeu um e-mail de divulgação do Streamlabs, então o site foi ativamente divulgado e não apenas "vazou".

"Durante meu tempo no Streamlabs, muitas pessoas do marketing foram repreendidas, colocadas em PIPs (planos de melhoria de desempenho) ou demitidas por reclamar contra práticas de negócios antiéticas", informou o usuário do Twitter Super Pan, que diz ser ex-funcionário.

O Streamlabs OBS não é associado ao OBS

A Elgato demonstrou interesse na situação, publicando que também já foi copiada pelo serviço de streaming.

Ademais, a plataforma aberta de transmissão OBS revelou que a acusada entrou em contato com sua equipe no passado para usar o termo "OBS" no nome do app. O pedido foi rejeitado, mas a concorrente o usou mesmo assim, registrando a marca Streamlabs Open Broadcast Software (OBS) e gerando a confusão de que as duas entidades são parceiras.

Crise de parcerias

Streamers famosos como Pokimane e Hasan também demonstraram descontentamento com a revelação e ameaçaram abandonar a parceria com a plataforma, caso o problema não seja resolvido.

Ainda não foi informado se a recente crise impactará a disponibilidade do Streamlabs Studio, que custa US$ 5 por mês, cerca de R$27 em conversão direta, ou US$ 50 por ano (R$ 276). A página promocional já foi alterada.