Linux está 'usável como desktop' nos Macs M1, afirmam devs

1 min de leitura
Imagem de: Linux está 'usável como desktop' nos Macs M1, afirmam devs
Imagem: Asahi Linux
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Na última semana, o grupo responsável pelo projeto Asahi Linux, que busca trazer o sistema operacional para Macs com processador M1, afirmou que a plataforma já está "usável como um desktop básico". Em seu blog, a postagem com os marcos de progresso mostra que ainda há muitos recursos a serem adaptados, como a aceleração por GPU, mas que um longo caminho já foi percorrido. E as boas notícias não param por aí.

Visionando o futuro do projeto, o grupo explica que a Apple tende a priorizar a compatibilidade de suas interfaces de hardware entre as gerações de dispositivos, garantindo que seus drivers funcionem em componentes que ainda serão lançados — algo que se difere bastante das demais fabricantes. Assim, caso sejam bem-sucedidos, os desenvolvedores também estarão solucionando problemas de compatibilidade da plataforma com os vindouros dispositivos da empresa.

Até o momento, segundo a postagem, o projeto já compatibilizou drivers relacionados ao PCIe e USB-C PD, enquanto, por outro lado, revisa o código dos drivers "Princtrl", "I2C", "ASC" e "Device Power Management". Neste contexto, os desenvolvedores ainda afirmam que é necessário esperar o lançamento dos processadores M1X ou M2 para verificar a eficiência da "compatibilização futura" oferecida pelas atuais soluções.

Linux Ashari pode ser usado nos Macs M1 como um "desktop básico". (Fonte: Pexels)Linux Ashari pode ser usado nos Macs M1 como um "desktop básico". (Fonte: Pexels)Fonte:  Pexels 

O grupo comenta a novidade, ao explicar que os drivers compatibilizados tornaram este lançamento perfeitamente "usável" no cotidiano: "Embora ainda não haja aceleração de GPU, as CPUs do M1 são tão poderosas que um desktop renderizado por software é realmente mais rápido nelas do que em, por exemplo, máquinas Rockchip ARM64 com aceleração de hardware," afirmam.

Atualmente, a principal prioridade do Asahi Linux é compatibilizar a aceleração de GPU para projeto: "Começaremos a lidar com a interface do kernel da GPU muito em breve, assim que algumas pontas soltas do kernel estiverem amarradas e em revisão," prometem os desenvolvedores.