Windows 11 reduz desempenho de CPUs AMD em até 15%

1 min de leitura
Imagem de: Windows 11 reduz desempenho de CPUs AMD em até 15%
Imagem: Luis Gonzalez/Pexels
Avatar do autor

A AMD emitiu um comunicado na quarta-feira (06) alertando os usuários que todos os seus processadores compatíveis com o novo Windows 11, lançado na terça-feira (05), podem sofrer queda de desempenho e chegar a 10% a 15% de redução na execução de games de esports. No caso de aplicativos, esse impacto pode ser entre 3% e 5%. Segundo a fabricante norte-americana, updates para corrigir as falhas estão a caminho.

Os erros afetam principalmente as CPUs das séries Ryzen Zen+, Zen 2 e Zen 3, que compõem as séries 2000, 3000, 4000 e 5000. Alguns processadores AMD EPYC usados em data centers e chips Athlon mais recentes também foram afetados pelo bug.

Fonte: ADM/Divulgação(Fonte: ADM/Divulgação)Fonte:  AMD 

Quais são os problemas apresentados?

De acordo com a consultoria da AMD, o problema se resume a dois aspectos. Primeiramente, a latência do cache L3, que funciona como se fosse uma memória menor e mais rápida, aumenta até 3 vezes no Windows 11, o que se traduz em redução no desempenho de jogos e aplicativos.

O segundo problema impacta principalmente programas de tarefa única e envolve uma falha de comunicação do sistema UEFI CPPC2 com o sistema operacional. Isso afeta o recurso "núcleo preferencial", que direciona esse tipo de aplicativo para os dois núcleos mais rápidos do chip. Segundo a AMD, a redução de desempenho é mais notável em modelos com 8 ou mais núcleos e TDP de 65W ou mais.

A AMD sugere que os usuários de seus produtos considerem a opção de "continuar a usar uma versão com suporte do Windows 10", ou seja, não atualizar por enquanto o sistema operacional para o Windows 11. Segundo o comunicado, uma atualização de drivers estará disponível até o fim deste mês para corrigir o problema do núcleo preferencial. Quanto à questão do cache L3, a fabricante espera uma atualização via Windows Update.