Google vai impedir que outros navegadores usem APIs do Chrome

1 min de leitura
Imagem de: Google vai impedir que outros navegadores usem APIs do Chrome
Imagem: VisualHunt
Avatar do autor

A Google está reduzindo os privilégios de navegadores baseados em seu motor de base, o Chromium. O sistema de código aberto, que está presente no Microsoft Edge e em outros navegadores, não garantirá acesso a ferramentas criadas especificamente para o Chrome, retirando algumas das APIs disponíveis para trabalho dentro de projetos concorrentes.

De acordo com falas do diretor de engenharia do Google Chrome, Jochen Eisinger, “há ferramentas que devem ser utilizadas somente pela Google”, e até então, elas eram disponibilizadas para outros desenvolvedores através de APIs privadas — que agora terão acesso restrito por padrão.

Ao que tudo indica, a companhia está preocupada que outros navegadores aproveitem as ferramentas criadas para o Google Chrome em seus próprios programas — já que este não é o propósito do código aberto do Chromium, como a própria Google comentou em seu catálogo de APIs.

sa  Pixabay 

Começando em 15 de março, o processo levará mais alguns meses para que todas as APIs restritas ao acesso da Google tenham acesso devidamente bloqueados, tempo o suficiente para que desenvolvedores de produtos derivados do Chromium adaptem seus navegadores às novas regras e minimizem o impacto em usabilidade.

Até agora, algumas das APIs que se tornaram exclusivas para uso da Google são as da Chrome Sync; função “Click to Call”, as mesmas mencionadas pelo diretor da companhia; solicitações ao Google Translate e ferramentas de Safe Browsing, a mesma que notifica usuários ao acessar uma página potencialmente maliciosa.

Contenção ou estratégia?

Não se sabe o que levou a Google tomar essa decisão neste momento. Provavelmente, alguma disputa com produtos derivados do Chromium pode ter gerado um distúrbio e resultado na nova estratégia da Google, informações que jamais devem ser divulgadas pela companhia.

Por outro lado, as restrições podem ter sido estabelecidas para garantir que o produto da Google seja diferente dos demais e que conte com funções exclusivas, sem garantir acesso para desenvolvedores de terceiros.