Apple pode ser obrigada a remover Telegram da App Store nos EUA

1 min de leitura
Imagem de: Apple pode ser obrigada a remover Telegram da App Store nos EUA
Imagem: App Store/Reprodução
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

A organização sem fins lucrativos Coalition for a Safer Web, que atua em busca de uma “internet mais segura”, entrou com ação judicial contra a Apple nos Estados Unidos, exigindo a remoção imediata do Telegram da App Store.

Conforme relatou o The Washington Post neste domingo (17), o grupo alega que a Maçã não está tomando nenhuma providência para moderar as comunicações feitas por meio do mensageiro, facilitando as ações de grupos extremistas e de ódio na plataforma, como aqueles responsáveis pelo ataque ao Capitólio dos EUA, ocorrido no último dia 6.

No processo movido em um tribunal da Califórnia, a organização afirma que o app de mensagens tem sido usado por apoiadores de Donald Trump para coordenar e incitar atos de violência na data da posse de Joe Biden, programada para a próxima quarta-feira (20), além de mencionar uma grande presença de grupos racistas e antissemitas agindo livremente no serviço.

A base de usuários do app aumentou depois das polêmicas envolvendo o WhatsApp.A base de usuários do app aumentou depois das polêmicas envolvendo o WhatsApp.Fonte:  Unsplash 

Ainda de acordo com a Coalition for a Safer Web, a gigante de Cupertino já deveria ter aplicado ao Telegram as mesmas restrições impostas à rede social Parler, cujo app foi removido da loja oficial do iOS devido à falta de moderação de conteúdos promovendo a violência. Apesar dos diversos relatos recebidos, a companhia não tomou nenhuma atitude até o momento.

Empresas ainda não se pronunciaram

Por enquanto, não está claro como a dona do iPhone vai encarar este processo e se ela verá o aumento da circulação de conteúdos extremistas no mensageiro como uma violação às políticas da App Store, uma vez que o Telegram não é uma rede social aberta como o Parler.

Além da proibição de novos downloads do mensageiro até o alinhamento dele com os termos de uso da loja de apps, o grupo pede indenizações compensatórias não especificadas.

Tanto a Apple quanto o Telegram ainda não comentaram o assunto.