Microsoft lança ferramenta que detecta deepfake em vídeos

1 min de leitura
Imagem de: Microsoft lança ferramenta que detecta deepfake em vídeos
Imagem: Microsoft/Reprodução
Avatar do autor

A Microsoft anunciou nesta terça-feira (1º) uma nova ferramenta chamada Video Authenticator, capaz de identificar manipulações em vídeos conhecidas como deepfake. O projeto analisa cada quadro de vídeos e gera uma pontuação de manipulação com uma porcentagem indicando as chances de a mídia ter sido alterada.

O serviço faz parte do Programa de Defesa da Democracia e foi desenvolvido pelo time de P&D da Microsoft Foundation, que tem parcerias com a AI Foundation e usa dados públicos do Face Forensics++. O objetivo da ferramenta é defender a democracia de ameaças alimentadas pela desinformação. O anúncio foi feito pouco antes das eleições presidenciais dos Estados Unidos, que acontecem em 3 de novembro, mas a pretensão é alimentá-la para o uso de longo prazo.

O Video Authenticator poderá exibir uma porcentagem de confiança em tempo real em cada quadro de um vídeo, detectando elementos sutis de edição, como desbotamento de cores e escala de cinza, "que não podem ser detectados pelo olho humano".

Marca d'água digital

Ferramenta de detecção de deepfakes 'Video Authenticator' da Microsoft.Ferramenta de detecção de deepfakes Video Authenticator da Microsoft.Fonte:  Microsoft/Divulgação 

A Microsoft sabe que os métodos de criação de deepfakes avançam em sofisticação e que as formas de detecção ainda têm taxas de falha, portanto espera alimentar sua tecnologia e a longo prazo "buscar métodos mais fortes para manter e certificar a autenticidade" de publicações online.

"Existem poucas ferramentas hoje para ajudar a garantir aos leitores que a mídia que estão vendo veio de uma fonte confiável e que não foi alterada", disse a empresa em comunicado. Uma das novas tecnologias é uma extensão para navegador que verifica os certificados e combina os hashes para informar ao leitor se o conteúdo é autêntico ou se foi alterado.

Outro sistema deve permitir aos produtores de conteúdo adicionarem hashes e certificados digitais às mídias, funcionando como uma marca d'água digital localizada nos metadados.

Microsoft lança ferramenta que detecta deepfake em vídeos