Boeing 747 ainda usa disquetes em atualizações críticas

1 min de leitura
Imagem de: Boeing 747 ainda usa disquetes em atualizações críticas
Avatar do autor

Durante a conferência de hacking DEF CON, que foi realizada virtualmente neste ano devido à pandemia de covid-19, uma informação surpreendente veio à tona: alguns modelos de aviões da Boeing (maior companhia aérea do mundo) ainda utilizam disquetes em atualizações críticas, incluindo as aeronaves 737 e 747.

Por mais estranho que possa parecer, grandes corporações utilizam tecnologias ultrapassadas, incluindo sistemas operacionais e hardware obsoleto. É exatamente o que acontece com o Boeing 747. Especialistas da Pen Test Partners tiveram acesso ao interior de uma aeronave que faz parte da frota da British Airways e está temporariamente inoperante devido à pandemia. Durante a inspeção, eles descobriram um drive de disquetes de 3,5 polegadas, que, supostamente, suporta dispositivos de 1,44 MB.

Drive de disquetes de 3,5Drive de disquetes de 3,5 polegadas da cabine de um Boeing 747-400.Fonte:  YouTube/Aerospace Village 

Os disquetes são usados para atualizar as informações críticas de navegação das aeronaves, como a introdução de novos aeroportos e rotas ou alterações em pistas de decolagem. Esse processo é realizado a cada 28 dias com a utilização de oito disquetes nas sessões mais recentes. Supondo que cada disco tenha 1,44 MB de capacidade, podemos concluir que a aeronave recebe o equivalente a 11,5 MB de dados a cada mês.

Esse método deverá ser mantido enquanto os técnicos da companhia o considerarem viável e seguro. Como o volume de dados é baixo e o processador de atualização é relativamente rápido, é muito mais fácil continuar usando os disquetes do que fazer uma alteração na estrutura da aeronave.

Aliás, o Boeing 747-400 citado foi lançado em 1988 e não é mais fabricado.

Aeronaves mais recentes

As aeronaves mais recentes da Boeing, como o 787 e o 777, já não têm drive de disquete em suas cabines, contando com tecnologias mais evoluídas e de alta segurança, como ARINC 664 e ARINC 629.

Fontes

Boeing 747 ainda usa disquetes em atualizações críticas