Telegram é liberado após dois anos de proibição na Rússia

1 min de leitura
Imagem de: Telegram é liberado após dois anos de proibição na Rússia
Imagem: Telegram
Avatar do autor
A Rússia encerrou nesta quinta-feira (19) o bloqueio ao mensageiro Telegram, que agora pode operar normalmente no país. Quem deu o sinal verde para o serviço voltar a funcionar de forma oficial na região foi a agência reguladora Roskomnadzor, que pertence ao governo local.

O bloqueio do Telegram na Rússia começou em abril de 2018, e o motivo citado é o eventual uso da ferramenta por criminosos, terroristas e extremistas. Na época, o governo chegou a exigir até mesmo as chaves de criptografia do aplicativo, mas elas não foram entregues.

Agora, segundo a agência de notícias Reuters, o Telegram topou cooperar com o combate a essas práticas — o que significa que o banimento não fazia mais sentido. O mensageiro não se pronunciou a respeito do caso.

Proibido, mas nem tanto

O banimento do Telegram consistia no bloqueio de endereços de IP que insistiam em usar o aplicativo, mas parece que a operação não funcionava como deveria. O serviço continuou popular no país e até foi usado oficialmente como um canal de notícias e informações a respeito da pandemia do novo coronavírus.

Vale lembrar que o fundador e CEO do Telegram é russo: o programador Pavel Durov, que deixou o país ainda no início da vida do mensageiro após desentendimentos com o governo. O TecMundo já contou a trajetória do aplicativo no quadro "História da Tecnologia".

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Telegram é liberado após dois anos de proibição na Rússia