Extensões do Chrome com malware foram baixadas 32 milhões de vezes

1 min de leitura
Imagem de: Extensões do Chrome com malware foram baixadas 32 milhões de vezes
Imagem: Google Chrome
Avatar do autor

A Google removeu mais de 70 extensões do navegador Google Chrome que secretamente coletavam dados de usuários. A ação foi tomada após um relatório da Awake Security, que detectou as ameaças.

Segundo a agência de notícias Reuters, as ferramentas acumulavam mais de 32 milhões de downloads e tinham utilidades variadas, desde converter arquivos até servir como proteção contra malwares. Entretanto, elas é que estavam contaminadas e, sem a sua autorização, coletavam histórico de navegação e outros dados que poderiam servir como porta de entrada para outros golpes.

O método era sofisticado: ao navegar usando o Chrome, você acaba conectado a uma série de sites adquiridos de uma empresa israelense, por onde as informações coletadas eram transmitidas. A companhia nega envolvimento com o caso e prometeu cooperar com as autoridades. Pela quantidade de vezes em que as extensões foram baixadas, o caso pode ser considerado o mais grave envolvendo ferramentas adicionais para o navegador da companhia.

O lado da Google

Um porta-voz da empresa disse à Reuters que a empresa removeu as extensões logo após confirmar as informações do relatório. As ferramentas não tiveram os nomes divulgados.

Ao menos por enquanto, a Google não detalhou a ação dessas ferramentas, como elas passaram pelo filtro da própria companhia e nem se elas de fato chegaram a ser usadas em crimes virtuais.

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Extensões do Chrome com malware foram baixadas 32 milhões de vezes