App vai identificar curados do Coronavírus no Rio de Janeiro

2 min de leitura
Imagem de: App vai identificar curados do Coronavírus no Rio de Janeiro
Imagem: (Fonte: Agência Brasil/Fernando Frazão)
Avatar do autor

Em entrevista coletiva nesta segunda-feira (30), o secretário de saúde do estado do Rio de Janeiro, Edmar Santos, afirmou que o governo do estado está desenvolvendo um aplicativo próprio para registrar resultados de testes de infecção pelo novo Coronavírus. Com finalidades em estudo, uma das opções consideradas é o monitoramento e identificação de pacientes contaminados e curados.

Ainda não há informações sobre como o aplicativo monitorará a atividade dos seus portadores e como as autoridades poderão utilizá-la para conter a disseminação da covid-19. Contudo, o governo do estado discute formas de identificar quem testou positivo para o vírus, quem já foi diagnosticado como curado e quem não teve contato com o agente infeccioso.

Os detalhes da aplicação são escassos. Não se sabe, por exemplo, se o governo do estado do Rio de Janeiro estabeleceu parceria com a startup In Loco — que já coopera com a prefeitura de Recife, em Pernambuco no monitoramento em tempo real de contaminados. Contudo, sabe-se que a startup pernambucana já dialoga com outros governadores e prefeitos para a adoção da ferramenta.

Entrevista coletiva com autoridades do estado pontuou novas medidas no combate a pandemia.Entrevista coletiva com autoridades do estado pontuou novas medidas no combate a pandemia.Fonte:  Mobile Time/Reprodução 

A medida seria uma forma de liberar pessoas curadas do isolamento físico para a livre circulação na cidade. Além disso, o monitoramento também serviria para obter informações sobre a concentração de doentes e a locomoção deles, a fim de determinar quais ações tomar em bairros ou ruas especificas.

“Queremos fazer de forma inteligente. Queremos ter um grande banco de dados com novas referências, incluindo, se possível, a informação de saída do isolamento”, disse o secretário. Ao mesmo tempo que desenvolvem o aplicativo, o governo do Rio de Janeiro afirma ter encomendado 1,5 milhão de testes para a covid-19 e aguarda a entrega do primeiro lote (400 mil unidades) para esta quarta-feira (01) e, do segundo (400 mil), na próxima sexta-feira (03).

Governador descarta lockdown

Wilson Witzel, ciente do desenvolvimento de medidas de monitoramento, conforta a população ao descartar medidas mais severas de contenção — o recém-conhecido lockdown; já que as atuais medidas adotadas pelo governo estariam surtindo efeito.

Apesar disso, ele reitera que cidadãos e estabelecimentos comerciais que não obedecerem às medidas impostas serão responsabilizados no futuro, seja criminalmente, civilmente e administrativamente.

Cartaz informativo deve ser exposto em estabelecimentos considerados essenciais.Cartaz informativo deve ser exposto em estabelecimentos considerados essenciais.Fonte:  G1/Reprodução 

Flagrou aglomeração? Disque 1746

Paralelamente, o governo do Rio de Janeiro introduziu um canal de denúncias para aglomerações — popularmente conhecido como Disk Aglomeração. Cidadãos que flagrarem algum estabelecimento sediando aglomeração de pessoas, poderão ligar para o número 1746 e fazer uma denúncia anônima. Autoridades deslocarão um grupo para dispersão dos infratores.

O decreto também afeta locais considerados essenciais, como farmácias e supermercados. Se uma aglomeração de pessoas for encontrada, é dever do cidadão denunciar às autoridades.

***

Em respeito à crítica situação causada pela pandemia da covid-19, o TecMundo não fará qualquer brincadeira de 1° de abril. Acreditamos que, face à onda de Fake News que passa por toda a internet, especialmente agora, não é o momento para seguirmos com nossa tradicional pegadinha para a data. O corpo editorial do TecMundo acredita que a imprensa desempenha um papel crucial nessa crise, tendo o dever de manter seus leitores informados sem qualquer margem para dúvidas quanto ao seu conteúdo. Prometemos algo especial para o ano que vem.

App vai identificar curados do Coronavírus no Rio de Janeiro