Google Maps altera fronteiras políticas para manter neutralidade

1 min de leitura
Imagem de: Google Maps altera fronteiras políticas para manter neutralidade
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Para manter a neutralidade em conflitos geopolíticos, o Google Maps altera o modo de exibição de fronteiras consideradas polêmicas. Segundo informações do Washington Post, o serviço conta com um time especializado em lidar com a representação de territórios conflituosos, que muda de acordo com a localização do usuário.

Um dos casos em que a geolocalização altera a fronteira exibida no Maps é a Península da Crimeia. Quem utiliza o serviço de localização na Rússia visualiza a região como parte do país, enquanto para o restante do mundo o local é apresentado como um território em disputa. A alteração visa manter o aplicativo dentro das regras impostas pelo governo de Vladimir Putin, para que a plataforma não seja banida do mercado russo.

(Fonte: Phone Arena/Reprodução)

A situação da Crimeia não é o único caso em que o Maps altera a exibição de fronteiras. A região de Kashmir, que é disputada por indianos e paquistaneses por mais de 70 anos, é exibida como padrão sem estar afiliada a uma das nações. Quem vive na Índia, porém, consegue ver o território como parte do país. Outro exemplo mencionado pelo CNET é o Mar do Japão, que é exibido com o nome padrão "Mar do Leste" para usuários na Coreia do Sul.

Lidando com polêmicas

Para tentar evitar polêmicas durante a exibição das fronteiras, o Google conta com um time dedicado que trabalha com especialistas de geopolítica, visando manter a visualização o mais neutra possível. Além de trabalhar com organizações como a ONU, a companhia também entra em contato com as nações envolvidas e checa tratados e armistícios ao definir as fronteiras do Maps.

"Permanecemos neutros em questões de regiões e fronteiras disputadas e fazemos todos os esforços para exibir objetivamente a disputa em nossos mapas usando uma linha de borda cinza pontilhada", explica Ethan Russell, diretor de gerenciamento de produtos do serviço de mapas. "Nos países onde temos versões locais do Google Maps, seguimos a legislação local ao exibir nomes e fronteiras".

O Maps é um dos principais serviços de geolocalização do mundo e recentemente ganhou um novo visual para celebrar seus 15 anos de mercado.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Google Maps altera fronteiras políticas para manter neutralidade