Huawei e Xiaomi se unem para 'destronar' a Google Play Store

1 min de leitura
Imagem de: Huawei e Xiaomi se unem para 'destronar' a Google Play Store
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Segundo a Reuters, a Xiaomi, Huawei, Oppo e Vivo estão trabalhando em uma versão própria da Google Play Store. A solução das gigantes chinesas recebeu o nome de Global Developer Service Alliance (GDSA) — Aliança de Serviço Global de Desenvolvimento, em tradução livre — e seria “uma plataforma para desenvolvedores de fora da China fazerem upload de aplicativos”.

A agência de notícias também revelou que o site do app apresenta o logotipo da Wanka Online, uma plataforma de IA com ecossistema Android, baseada em Hong Kong. Entretanto, não foi possível descobrir qual seria o envolvimento dessa empresa com a nova solução das fabricantes.

GDSA está em fase avançada

A Reuters apontou que a GDSA se encontra em fase avançada e seria lançada já em março deste ano, com disponibilidade inicial em nove regiões, dentre elas a Índia, Indonésia e Rússia. Porém, ainda não está claro se esse cronograma será seguido, devido ao surto do coronavírus.

Huawei não tem autorização para usar Google Play Store. (Fonte: Flickr)

Conforme a IDC, empresa de análise de dados, a Xiaomi, Huawei, Oppo e Vivo representam 40,1% do mercado mobile no mundo. Diante desse número, e de seu domínio em parte considerável da Ásia e até mesmo da Europa, elas poderiam desafiar o domínio da Google Play Store ou ao menos “roubar” parte de seus usuários.

Dentre as quatro fabricantes, a Huawei é a única sem autorização para utilizar o Android e apps da gigante das buscas, devido à acusação de fraude dos EUA. Assim, a fabricante ainda anunciou em 2019 o lançamento do HarmonyOS, SO próprio — embora a fabricante tenha apontado o interesse em continuar com as soluções norte-americanas. Dessa forma, não está evidente o seu nível de influência para a criação da GDSA.

Fontes

Huawei e Xiaomi se unem para 'destronar' a Google Play Store