Novo método de DeepFake troca face para preservar identidade

1 min de leitura
Imagem de: Novo método de DeepFake troca face para preservar identidade
Avatar do autor

Um grupo de cientistas noruegueses criou um novo método de DeepFake que realiza a troca de rostos para garantir o direito à privacidade em situações quando isso é necessário. O trabalho foi publicado em um periódico da Cornell University, e apresenta um sistema nomeado como DeepPrivacy. Ao contrário de outros modelos, este é capaz de substituir automaticamente a face de uma pessoa por outra de alguém inexistente, gerado a partir de um conjunto de dados de 1,5 milhão de imagens.

“Apresentamos um conjunto diversificado de dados de rostos humanos, incluindo poses não convencionais, rostos ocluídos e uma grande variabilidade de planos de fundo,” declara o texto acadêmico. Na publicação, ainda é dito que esses dados podem ser usados para “treinamento adicional de modelos de deep learning”.

Sequência de alteração facial realizada pelo DeepPrivacy. (Fonte: DeepPrivacy/GitHub)

O novo sistema poderia, então, ser usado em casos em que é preciso haver a preservação da identidade, por exemplo, em entrevistas nas quais há denúncias anônimas ou testemunhas. Porém, diante de algumas amostras, é possível perceber falhas durante a concepção de uma nova face, que podem ocorrer conforme determinados tipos de iluminação e movimento.

Mesmo assim, o DeepPrivacy ainda apresenta um sistema inédito de DeepFake automático com um objetivo menos polêmico. Demais informações sobre o modelo, como seu código aberto e outras amostras, podem ser conferidas no GitHub.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Novo método de DeepFake troca face para preservar identidade