Huawei quer que Europa tenha seu próprio SO para celulares

1 min de leitura
Imagem de: Huawei quer que Europa tenha seu próprio SO para celulares
Avatar do autor

A Huawei é, hoje, uma máquina de planos B. Ao ser inserida da lista negra do Departamento de Comércio americano e impedida de fazer negócios com fornecedores americanos, a gigante chinesa não parou; ao contrário, tem lançado mão de estratégias, parcerias, investimentos em tecnologia própria e em um discurso que sobra otimismo e, por que não dizer, ousadia.

Não temos medo porque sempre soubemos que, mais cedo ou mais tarde, haveria uma briga com os EUA. Estamos preparados!

Em recente entrevista ao jornal alemão de economia Handelsblatt, o presidente da Huawei, Eric Xu, enfatizou que gostaria de continuar fazendo negócios com o Google e outras empresas americanas, mas que é necessário "aceitar o fato de que vamos precisar conviver com a pressão dos EUA por muito tempo. Não temos medo porque sempre soubemos que, mais cedo ou mais tarde, haveria uma briga com os EUA. Estamos preparados.”

E essa preparação envolve o seu mais lucrativo mercado externo, a Europa, que receberá em outubro o novo flagship da companhia, o Mate 30, sem o Google Mobile Service. O pacote inclui apps populares como Gmail, Drive, Maps e YouTube, entre outros, além da Play Store.

Eric Xu está na Huawei desde 1993; hoje, ele é membro do círculo de liderança sênior da empresa e ocupa regularmente o cargo de presidente, que muda a cada seis meses. (Fonte: Handelsblatt/Frank Beer)

A autossuficiência está na solução encontrada; Xu citou o HarmonyOS, o sistema operacional próprio da marca, como exemplo de caminho a ser seguido não somente pela Huawei: “Por que a União Europeia não cria seu próprio ecossistema para dispositivos inteligentes? Tanto o Android como o Harmony, por serem de código aberto, fariam parte do ecossistema europeu. Isso resolveria o problema da soberania digital na região.”

Mercado de US$ 60 bilhões que as concorrentes não têm

Lembrado que outras empresas gigantes como Microsoft e Nokia falharam ao desenvolver seu próprio sistemas operacionais, Xu ressaltou que a Huawei tem “uma importante vantagem competitiva que nem a Nokia, a Microsoft ou a Samsung tinham quando falharam: um negócio de smartphones de US$ 60 bilhões. E já construímos com sucesso nosso próprio sistema operacional. Agora, temos que desenvolver um ecossistema no exterior.”

Ele não revelou com quais empresas do continente já travou entendimento. "Espero que tenhamos acertado tudo até o fim deste ano ou o início de 2020", disse Xu. A Huawei está, atualmente, trabalhando com o governo de Vadimir Putin para usar o Aurora, um sistema operacional 100% russo.

***

Quer dominar qualquer aparelho celular e se sobressair no mercado? Saiba mais aqui.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Huawei quer que Europa tenha seu próprio SO para celulares