A ferramenta Picture-in-Picture (PiP) do Google Chrome é, sem dúvidas, bastante útil para aproveitar vídeos enquanto acessa outras páginas no navegador ou programas no computador. Com a popularidade do recurso, parceiros da Google solicitaram que o PiP tivesse suporte não apenas para a exibição de vídeos, mas também de outros conteúdos.

Atualmente, o modo de exibição está limitado apenas a exibição de vídeos, mas alguns parceiros da Gigante da Web notaram que ele proporciona uma nova experiência para os usuários e solicitaram mudanças à empresa. Atentos, os desenvolvedores da Google compartilharam um documento no qual definem os objetivos do projeto e em que etapa se encontra o seu desenvolvimento.

Para funcionar, a API da ferramenta precisará ser retrabalhada a fim de exibir conteúdo HTML comum. Com a mudança, é bem provável que o PiP possa ser adotado com facilidade em navegadores baseados no Chromium — como Opera e o novo Edge — e melhorar ainda mais a relação do usuário com as pequenas janelas.

Modo Picture-in-Picture em ação. (Fonte: Igor Carneiro/Reprodução)

Uso consciente

Embora o recurso possa enriquecer a experiência do usuário durante a navegação, flexibilizar o Picture-in-Picture pode abrir uma brecha para exibição de propagandas indesejadas, de forma semelhante às antigas e inconvenientes janelas pop-up. Portanto, o interesse das companhias parceiras da Google pode não ser diretamente benéfico ao usuário, mas, sim, ocultar uma nova forma de monetização — só o tempo dirá.

Segundo o Chrome Platform Status, a expansão da ferramenta ainda está em fase de desenvolvimento e não há informações sobre lançamento.