Quem tem um smartphone com Android e acompanha os lançamentos de jogos e aplicativos certamente já passou por essa situação: uma novidade é anunciada, mas ela só está disponível para dispositivos com iOS. Será preciso aguardar meses para ver o mesmo programa aparecendo na Play Store do Google, sem nenhuma razão aparente.

Isso acontece até mesmo com os grandes lançamentos do mundo mobile, como pudemos ver na época da chegada de Fortnite aos celulares. O sucesso da Epic Games foi exclusivo da plataforma da Apple por um bom tempo antes de finalmente aparecer nos celulares da Samsung e só depois ser liberado para o restante do ecossistema Android.

Mas o sistema do Google é bem mais popular, dominando quase 90% do mercado, o que acaba deixando muita gente em dúvida. Afinal, por que tanta coisa chega primeiro ao iOS e só depois aparece no Android? Não faria mais sentido colocar o jogo primeiro na plataforma com mais usuários?

Existem alguns motivos para que tantas empresas e desenvolvedores sigam esse cronograma e elencamos alguns deles abaixo.

FortniteMesmo sendo um dos jogos mais populares do mundo, Fortnite também demorou meses antes de chegar no Android. Foto: Epic Games/Divulgação

Quantidade de dispositivos

Por mais que a Apple venha aumentando a quantidade de iPhones e iPads disponíveis no seu portfólio, é notório que existem bem menos dispositivos diferentes rodando iOS do que aparelhos com Android no mercado.

Como pode ser utilizado por qualquer fabricante, o Android está presente em centenas de celulares lançados todos os anos. Isso pode ser bom para os consumidores, que ganham em poder de escolha, mas dificulta a vida de quem desenvolve os aplicativos.

Ter tanta opção assim significa que nunca será possível testar o app em todos os cenários possíveis, incluindo aí variações como telas, processadores e modificações do Android diferentes. Dá para perceber como tantos testes podem fazer o desenvolvimento demorar.

TabletPlataforma da Apple costuma ser priorizada pelos desenvolvedores. Foto: iMore/Reprodução.

Fragmentação do sistema também influencia no atraso

Sempre que vai lançar uma nova versão do iOS, a Apple faz questão de destacar o fato de a maioria dos seus clientes estar rodando a versão mais recente do sistema operacional. Isso acontece porque a plataforma é completamente controlada pela empresa, que produz tanto o software como o hardware, e decide quando as atualizações serão lançadas para todos.

No caso do Android, cada fabricante é responsável por atualizar seu dispositivo, o que deixa muita gente rodando versões antigas do sistema sem previsão de atualização. Isso significa que um jogo ou aplicativo precisa funcionar corretamente em vários ‘sabores’ diferentes do Android para tirar proveito da grande base de usuários.

No Android, cada fabricante é responsável por atualizar seu dispositivo, o que deixa muita gente rodando versões antigas do sistema sem previsão de atualização.

A esses pontos podemos somar a facilidade de trabalhar com a plataforma da Apple que é citada por muitos profissionais da área. Um teste da agência de desenvolvimento Infinum mostrou que criar um app do zero para o iOS costuma consumir quase 30% a menos de tempo e ter quase 40% de linhas de código a menos.

No estudo, a empresa aponta que isso é algo natural pelo fato de o Java, linguagem utilizada para criar aplicativos Android, simplesmente exige mais digitação do que o Swift da Apple. Mais linhas de código não são necessariamente ruins, mas podem dar mais trabalho tanto na hora de escrever como para manter isso tudo funcionando.

Dinheiro ainda é o que fala mais alto

No entanto, de todos os argumentos possíveis existe um que certamente será mais relevante, especialmente se o seu objetivo for lucrar com o aplicativo. Estamos falando da quantidade de dinheiro gasto em cada plataforma.

Diversas pesquisas mostram que os usuários de iOS costumam gastar bem mais do que os usuários de Android em compras dentro dos aplicativos, algo que não surpreende quando consideramos o preço médio de um iPhone. Isso vira um incentivo para que estúdios e desenvolvedores com tempo limitado priorizem o lançamento no iOS.

Alto's AdventureAlto's Adventure e Alto's Odyssey são exemplos de jogos que foram lançados como pagos no iOS e como gratuitos com anúncios no Android. Foto: Snowman/Divulgação.

A pirataria também pode ser decisiva nesse ponto. Ela é praticamente inexistente no ambiente fechado do iPhone, mas não é difícil encontrar versões crackeadas de jogos e aplicativos pagos logo que eles são lançados na Play Store. É por esse motivo que tantas empresas acabam transformando jogos que eram pagos no iOS em apps gratuitos com anúncios no Android.

Embora toda essa situação tenha melhorado nos últimos anos, ela acaba acontecendo por motivos muito relacionados às características únicas de cada plataforma, um sinal de que ela pode nunca ser resolvida definitivamente. Ou seja, se você gosta de estar sempre jogando os últimos lançamentos mobile, o iOS provavelmente continuará sendo a melhor opção.

Cupons de desconto TecMundo: