Praticar a fala e a comunicação em geral é um dos grandes desafios para crianças com síndrome de Down e é uma das maiores preocupações dos pais, pois a ausência de sinais claros dificulta a interação e a inserção dos pequenos em comunidade. E foi a partir de experiências pessoais é que a questão foi levada para pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto (SP).

O app dá o feedback de exercícios de forma semelhante a um fonoaudiólogo

A maior barreira a ser superada era como exercitar as falas com os pequenos sem a presença constante de um profissional de fonoaudiologia. Depois de 2 anos de desenvolvimento, nasceu o utilitário “SofiaFala”, que aproveita o fato de todo mundo ter um smartphone para criar baterias de exercícios semelhantes às dos profissionais. “O aplicativo vai dar o feedback igual ao que a fono dá”, explica Bianca Bortolai Sicchieri, envolvida com o projeto.

A interface é bem simples: figuras, palavras e sons aleatórios aparecem a cada rodada e a criança precisa repetir, tocando no ícone do microfone. Quanto melhor a pronúncia, maior é a nota e o estímulo para que ela continue se aperfeiçoando. São vários tipos de tarefas (como estalo de língua e fonemas específicos) e diferentes gêneros e itens.

sofiafalaFonte: Record TV

Por enquanto, o “SofiaFala” segue em fase de testes. E a ideia é que a indústria também se sensibilize com essa iniciativa e, de repente, até consiga desenvolver essa ideia em outras frentes — como o mesmo programa adaptado a uma boneca, por exemplo, ou outros itens e atividades que possam aliar educação às práticas lúdicas.