Um aplicativo de tradução desenvolvido na China está censurando alguns termos que citam questões políticas do país, com destaque para frases que falam sobre a independência de Hong Kong, Taiwan e Tibete. O programa em questão é o iFlytek Translator e quem percebeu a censura foi Jane Wong, estudante de computação conhecida por descobrir novas funções de aplicativos antes de elas serem anunciadas oficialmente.

Como é possível ver na imagem publicada por Wong, o aplicativo simplesmente exclui o termo “independência” das traduções ou até sugere palavras que não tem relação com o conteúdo original. O mesmo acontece quando o usuário tenta traduzir frases relacionadas ao massacre na Praça da Paz Celestial, em Pequim, ou quando insere o nome do Ursinho Pooh no aplicativo, personagem que vem sendo censurado no país por causa de memes que o comparam ao presidente Xi Jinping.

A situação chamou a atenção pelo fato de não existirem restrições do governo exigindo que programas de tradução censurem seu conteúdo. Na China, isso acontece principalmente nas plataformas de mensagens e redes sociais, como são os casos de Weibo e WeChat. Isso indica que a iFlytek optou pela censura prévia como forma de evitar possíveis conflitos com o governo.

O fato também é preocupante por se tratar de uma das maiores companhias de inteligência artificial do mundo, oferecendo serviços de tradução automática em conferências, eventos e fóruns internacionais. Apesar disso, a censura encontrada parece estar, pelo menos por enquanto, limitada à versão do aplicativo para dispositivos com Android, sendo possível ver todos os termos no iOS.