Houve algumas novidades bacanas no Microsoft Ignite deste ano, conferência ocorrida em setembro. Ali, foi mostrado como a BMW está utilizando os serviços da Microsoft para criar sua própria assistente digital. Isso mostra que, para a empresa, a Cortana não é uma demonstração do futuro das IA, e sim do que é possível fazer.

Pensando nisso, a empresa liberou uma espécie de acelerador de soluções para assistentes virtuais. Como o nome indica, trata-se de uma solução para empresas que estão tentando criar bots de inteligência artificial conversacionais, e nem precisamos mencionar que a Microsoft possui as ferramentas necessárias para ajudar nisso e muito mais.

 

Assim, os clientes não precisam começar a desenvolver modelos de linguagens do zero ou estudar os detalhes das interações com bots; seria necessário simplesmente inserir a voz, nome e outras informações básicas para criar uma experiência como a Cortana de forma rápida e fácil.

É verdade que a Cortana não é a IA mais popular entre os usuários, de modo que a Microsoft precisou encontrar uma forma de ganhar dinheiro com as ferramentas necessárias para criá-la - e, convenhamos, isso faz muito mais sentido do que esperar que a Cortana esteja presente em qualquer dispositivo do mundo, né?

 

Para empresas que estão crescendo e precisam oferecer serviços únicos, utilizar uma assistente virtual pode ser uma boa forma de customizar e otimizar as soluções atuais para caberem dentro da agenda da empresa. Como não são todas as pessoas que precisam de assistente digital, o objetivo da Microsoft é ter as ferramentas à disposição do cliente quando for necessário.