A Qualcomm anunciou nesta quarta-feira (19) que está disponibilizando uma nova solução para que governos e agências reguladoras possam combater a disseminação de smartphones falsificados, também conhecidos como “celulares piratas”.

O programa se chama DIRBS e serve para identificar, registar e bloquear dispositivos irregulares conectados a redes de operadoras de telefonia. Essa ferramenta deve funcionar basicamente da mesma forma que o sistema usado pela Anatel para bloquear smartphones roubados, adulterados ou falsificados no Brasil.

É interessante destacar, contudo, que a solução da Qualcomm não está sendo usada por aqui, mas trata-se de um software livre e gratuito que já foi implantado no Paquistão. A aplicação também será distribuída para outros países nos próximos meses.

O que a Qualcomm ganha com isso?

O interesse da Qualcomm em combater smartphones falsificados ou piratas é claro: fabricantes de aparelhos ilegais não consomem os componentes de alta qualidade que a empresa fabrica. Por isso, a empresa combate a prática ilegal como forma de ajudar suas parceiras legítimas e ter mais alcance de mercado.

A empresa ainda revela que celulares falsificados são um programa em todo o mundo e resultam em perdas na casa dos 45 milhões de euros anualmente. “O compartilhamento gratuito da solução como software livre permitirá que o setor de telefonia móvel implemente rapidamente essa poderosa tecnologia para ajudar a resolver problemas relacionados à falsificação em todo o mundo”, explicou Mohammad Raheel Kamal, diretor sênior da Qualcomm.

Cupons de desconto TecMundo: