Após receber fortes críticas da mídia chinesa, a Apple anunciou a retirada de milhares de aplicativos de aposta e loteria da Apple Store do país. Os programas são considerados ilegais de acordo com a legislação local por “causar grandes perdas aos usuários”.

Apesar de a Apple não precisar um número exato, a Televisão Central da China ou China Central Television (CCTV), controlada pelo governo, estima que ao menos 25 mil apps tenham sido retirados no domingo (19 de agosto). O número representa 1,4% do total oferecido na Apple Store, que é a única estrangeira permitida na China. A Google Play, por exemplo, ainda é banida por lá.

De acordo com uma nota oficial, a Apple afirma querer colaborar com a regulamentação chinesa, um de seus maiores mercados globais. “Nós já removemos muitos apps e desenvolvedores por distribuírem aplicativos ilegais de aposta e jogos de azar em nossa Apple Store e estamos vigilantes em nossos esforços para encontrá-los e impedi-los de estar na App Store”.

A ação é uma resposta às críticas públicas de que a empresa estaria sendo lenta demais para resolver essas questões e procura acalmar os ânimos que vêm se acirrando entre Estados Unidos e China. Recentemente, o serviço de mensagem da Apple, iMessage, foi amplamente criticado pela mídia chinesa por recusar o monitoramento do conteúdo compartilhado entre os usuários.

App Stores de outras empresas, como Baidu Inc. e Tencent Holdings, também receberam os mesmos pedidos para banir aplicativos de jogos de azar e seus desenvolvedores.

A maioria das Virtual Private Network (VPNs) também já haviam sido removidas da Apple Store da China no ano passado. Esses aplicativos não são autorizados pelas autoridades chinesas, por mascararem o tráfego de dados e viabilizarem o uso de apps como o WhatsApp, por exemplo.

Cupons de desconto TecMundo: