A Food and Drug Administration (FDA), agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, autorizou a comercialização do aplicativo contraceptivo Natural Cycles. O aplicativo já havia sido aprovado na Europa no ano passado. 

Natural Cycles possui um algoritmo que calcula quais serão os dias férteis de uma mulher, baseado em leituras de sua temperatura corporal (feitas com um termômetro enviado quando se compra o app) e em informações de seu ciclo menstrual. A partir disso, ele informa quando ela deve usar proteção em suas relações sexuais, de acordo com os dias em que está no período fértil. Natural Cycles é aconselhado para mulheres maiores de 18 anos que ainda não entraram na menopausa.  

De acordo com Terri Cornelison, diretora-assistente para saúde da mulher no Centro de Dispositivos e Saúde Radiológica da FDA, os consumidores utilizam cada vez mais tecnologias digitais para tomar decisões sobre saúde, e o Natural Cycles pode oferecer um método contraceptivo eficiente, caso utilizado de forma cuidadosa e correta. “Mas as mulheres devem saber que nenhuma forma de concepção funciona perfeitamente. Então, uma gravidez ainda pode acontecer mesmo com uso correto do dispositivo”, ela complementa. 

Embora tenha sido aprovado em diversos países, ainda existem controvérsias a respeito do Natural Cycles. Há relatos de mulheres que ficaram grávidas enquanto seguiam o método na Suíça, e o Reino Unido está investigando as informações propagadas pela empresa em seus anúncios no Facebook. 

Ao mesmo tempo, a aprovação do Natural Cycles pela FDA foi baseada em estudos clínicos que demonstraram uma taxa de falha de 1,8% em mulheres que o utilizaram de forma perfeita. Para quem fez um uso típico do método (mulheres que nem sempre utilizaram o Natural Cycles corretamente, mantendo relações desprotegidas em dias férteis, por exemplo), a taxa foi de 6,5%.