A realidade virtual pode ser uma boa aliada para conscientizar do quão devastadora uma situação dessas poderia ser, e alguns alunos já a botaram em prática. Recentemente, os estudantes da Escola Técnica de Fukuyama utilizaram a realidade virtual como uma ferramenta de estudo e de conscientização: eles criaram uma experiência de apenas 5 minutos, que reproduzia os sons e visões de quando a bomba de Hiroshima atingiu o país. Na simulação, o usuário vê imagens de locais públicos como eram normalmente e, de forma súbita, se transformam em escombros e cinzas. Os sons da tragédia também foram reproduzidos, deixando a experiência ainda mais realista.

 

O projeto foi feito utilizando fotografias antigas, cartões postais e relatos de sobreviventes, que transmitiram suas experiências para os alunos. Para Mei Okada, aluno que participou do trabalho, um dos grandes méritos da VR é a capacidade de mostrar as imagens e transmitir experiências sem, necessariamente, precisar da linguagem para isso.

Yuhi Nakagawa, outro aluno participante, contou que viu diversas fotos de prédios antes e depois da explosão da bomba para trabalhar na simulação. Ele notou que muitos deles simplesmente deixaram de existir, e percebeu que uma bomba atômica pode ser extremamente assustadora. Assim, ele sentiu a necessidade de compartilhar estas sensações com outras pessoas.

Um aspecto interessante deste projeto é a capacidade transformadora que VR pode ter para os usuários: havia alunos que não tinham manifestado grande interesse na questão, mas que mudaram seus conceitos após verem o resultado final.