O rastreamento intenso de identidades em redes sociais não é uma novidade e vem sendo utilizado por autoridades e hackers há um bom tempo. Isso antes dependia de programas avançados, pagos ou de aplicações com o consentimento dos usuários e empresas. Agora, fazer esse monitoramento, para o bem ou para o mal, ficou mais fácil e prova disso é a ferramenta em código aberto Social Mapper.

Diferente de outras ferramentas, o Social Mapper não necessita de integração com APIs de terceiros para varrer as plataformas

Com o utilitário, é possível buscar por assuntos específicos em plataformas como Facebook, Instagram, TwitterLinkedIn e outras que usem o mesmo esquema de foto com nome — incluindo gringas de uso massivo, a exemplo da russa VKontakte e das chinesas Weibo e Douban. Essa busca sempre pôde ser feita manualmente, claro, mas o processo automatizado é muito mais rápido e pode fazer a varredura com mais de um perfil simultâneo.

"Realizar a coleta de informações online é um processo demorado. E se pudesse ser automatizado e feito em grande escala com centenas ou milhares de pessoas?", celebrou a firma de segurança Trustwave, em um post de seu blog na manhã desta quarta-feira (8). Jacob Wilkins, analista da empresa, foi quem liberou o Social Mapper no GitHub.

Diferente do Geofeedia, usado pela polícia, o Social Mapper não precisa de verificação de APIs de terceiros e, segundo seu desenvolvedor, o sistema executa pesquisas manuais automatizadas em uma janela do navegador e usa o reconhecimento facial para digitalizar os primeiros 10 a 20 resultados, para realizar uma correspondência. Ainda que não seja tão veloz quanto os recursos com APIs das plataformas, é possível pesquisar uma lista de 1 mil usuários em pouco mais de 15 horas.

social mapperExemplo de relatório de busca do Social Mapper

A Trustwave exemplifica vários cenários que poderiam ser aplicados no caso de ataques online, incluindo phishing, como forma de aprimorar a defesa contra os mesmos. Mas como o programa pode ser usado para qualquer fim, não dá para dizer que será destinado somente para fins, digamos, mais nobres. Esperamos que sim.