Você já foi a um museu de arte? Se sim, deve ter se sentido frustrado ao perceber que, dependendo do lugar, muitas obras não podiam ser tocadas. Agora, imagine como essa situação deve ser para um deficiente visual! Contudo, a boa notícia é que a Galeria Nacional de Praga está com uma exposição bem interessante, principalmente para esse público. 

O evento, chamado "The Touching Masterpieces" – cujo nome pode ser traduzido como "As Obras-Primas Tocáveis" –, deu uma oportunidade bem diferente aos visitantes com necessidades especiais: eles poderiam sentir as esculturas expostas com a ajuda das luvas Avatar VR! 

1

O projeto foi desenvolvido pela Geometry Prague e NeuroDigital, junto da Fundação Leontinka. Foram utilizadas luvas que controlam as mãos do usuário em um espaço virtual; quando ele toca um objeto virtual em três dimensões, vibrações são enviadas, trabalhando junto de uma tecnologia que estimula diferentes células da pele e ajuda na percepção dos deficientes visuais.  

Em outras palavras, isso permite que eles percebam se as obras são macias, ásperas ou texturizadas. Claro que nem todos os detalhes são perceptíveis, mas os organizadores vão aprimorando a tecnologia com o tempo. 

No projeto, foram utilizados modelos de três obras famosas: o busto de Nefertite, Vênus de Milo e Davi, de Michelangelo. Essas estátuas foram escolhidas por terem formas do corpo humano que podem ser facilmente reconhecidas por todos os usuários e, claro, por terem grande mérito artístico. 

E não é preciso ir até Praga para poder conferir a tecnologia; há uma exposição, chamada "O Relevo", funcionando em Porto Alegre de forma bem semelhante, por também utilizar luvas especiais para que os visitantes com deficiência visual possam sentir círculos, linhas e ondulações das telas. Ela está disponível até o dia 2 de junho e possui entrada franca.