A Microsoft anunciou que, a partir da Creators Update de outono, o Windows 10 Pro comum perderá o suporte completo ao sistema de arquivos resilente da empresa, o ReFS. Depois disso, o sistema operacional continuará capaz de editar e ler arquivos salvos nesse padrão, mas não conseguirá mais criá-los. Essa possibilidade estará disponível apenas para PCs que rodam o Windows 10 Pro for Workstations e Windows 10 Enterprise.

O padrão ReFS tem feito parte de todas as versões do SO desde o lançamento do Windows 8.1, mas, agora, a desenvolvedora quer utilizar esse recurso como um ponto de destaque das edições corporativas, desenvolvidas para trabalhar com hardware mais potente e também para lidar com o gerenciamento de arquivos em massa.

O novo modelo é capaz de guardar dados com mais segurança e fazer cópias de todos os itens armazenados

Caso você não conheça a principal vantagem do ReFS em relação NTSF comum, a gente explica: em essência, o novo modelo é capaz de guardar dados com mais segurança e fazer cópias de todos os itens armazenados em um disco em outra unidade de forma automática. Periodicamente, esses arquivos são verificados e, quando o sistema identifica algum sinal de corrupção, a cópia “saudável” do arquivo que foi espelhada no segundo disco é replicada sobre o item original.

Como isso é mais pertinente para computadores que ficam nos setores de tecnologia das grandes empresas, usuários finais não devem sentir falta do recurso. Ainda assim, a Microsoft pode irritar algumas pessoas. Isso porque a sua maior concorrente, a Apple, implementou um sistema de arquivos moderno que também tem proteção contra corrupção em todos os seus sistemas operacionais: macOS, iOS, tvOS e watchOS, sem nenhuma distinção.

Cupons de desconto TecMundo: