Estudos realizados pela Universidade do Oregon detectaram que o uso de mensagens SMS ajuda a monitorar fumantes, estimula o abandono do vício e diminui o número de recaídas durante o tratamento. A pesquisa, divulgada nesta segunda-feira (7 de março), mostra que o envio de textos consegue ser mais eficiente e barato do que muitos dos métodos de monitoramento usados atualmente.

Os responsáveis pela descoberta são o professor de psicologia da Universidade do Oregon, Elliot Berkman, Emily Falk, da Universidade de Michigan e Matthew Lieberman, da Universidade de California. Segundo Berkman, hábitos viciantes como o fumo são interessantes por se tratarem de “uma guerra que consiste de uma série de batalhas momentâneas pelo autocontrole”.

Ao todo foram realizados dois estudos simultâneos, dos quais participaram os mesmos 27 fumantes que procuravam abandonar o hábito. O primeiro experimento consistia em usar uma máquina de ressonância magnética para mapear as áreas do cérebro responsáveis por combater impulsos e ajustar o nível de autocontrole de cada paciente.

Essa etapa foi bem sucedida ao mostrar que os impulsos de fumar podem ser detectados e previstos através de imagens do cérebro. Isso significa que, em um futuro próximo, pode se tornar possível o desenvolvimento de tratamentos mais personalizados, em que é possível usar métodos para cortar a vontade de consumir cigarros na hora em que ela surge.

Controle de impulsos por SMS

O segundo estudo mostrou que, combinados com os dados obtidos nas ressonâncias, o uso de textos por SMS é eficiente para controlar impulsos e monitorar os pacientes. O experimento consistia em mandar oito mensagens por dia durante um período de três semanas para cada participante, que deveria responder perguntas relativas ao avanço do tratamento.

Os resultados mostraram que o envio das mensagens teve o mesmo índice de eficiência quando comparado ao uso de aparelhos portáteis dedicados ao controle da vontade de fumar. Além disso, devido à grande difusão de celulares e smartphones, o método se mostrou mais barato e fácil de usar do que dispositivos especializados, que chegam a custar US$ 300.

Outra descoberta foi a de que a obrigatoriedade de responder mensagens evita situações em que o fumante se esquece de reportar momentos em que surgiu a vontade de consumir cigarros. Isso confirma outros estudos que apontam a importância de métodos que monitoram em tempo real impulsos e providenciam meios de resistir a eles.

A conclusão dos estudos foi a de que pacientes que apresentavam maior atividade nas áreas do cérebro responsável pelo autocontrole mostravam resultados mais positivos ao responder as mensagens em SMS. Segundo Berkman, isso indica que o uso combinado de textos e ressonâncias magnéticas é uma ótima forma de combater vícios e evitar recaídas dos pacientes.

Cupons de desconto TecMundo: