Dois anos depois da sua primeira geração de relógios inteligentes e após o lançamento recente da família Apple Watch Series 2, a Apple pareça dominar esse mercado com uma boa folga – seja pela fidelidade de seus consumidores ou por conta da experiência suave do watchOS. Isso não impede, porém, que uma infinidade de fabricantes produza seus próprios gadgets para acirrar a competição. Agora, se depender de um fã de longa data da Nokia, é a vez da companhia finlandesa também testar esse mercado... Mas não do jeito que você imagina.

Em vez de gastar uma pequena fortuna em mais um produto da Empresa da Maçã ou de explorar o rico cenário de opções disponíveis com Android Wear, o youtuber Daniel Davis resolveu construir o seu próprio vestível de pulso. Como? Recorrendo a um bom e velho Nokia 1100, claro! A ideia do rapaz foi fazer com que o antigo celular – que não tinha nada de smart – servisse como base para um smartwatch totalmente personalizado – e que, segundo os memes em torno da marca de eletrônicos, pode ser capaz de resistir a explosões atômicas.

Vale cortar a unha na hora de gravar o guia, hein?

Lógico que a operação não foi nada simples, já que, entre as funções básicas que o brinquedinho deveria desempenhar – segundo o próprio autor do projeto –, estariam quesitos como: a) Mostrar as horas; b) Se conectar a smartphones; c) Exibir notificações de chamadas; e d) Exibir notificações de SMS. Não é nem preciso dizer que o modelo clássico da Nokia não tinha nenhum desses elementos integrados ao seu pacote de recursos, certo? As principais funcionalidades, na época de seu lançamento, era ligar para os amigos e jogar Snake.

Como não daria para aproveitar tudo, então, Davis desmontou o aparelho e separou apenas três peças: display LCD monocromático, motor vibratório e alto-falante. Para dar prosseguimento a empreitada e driblar o restante das limitações do kit, o jeito foi ligar tudo isso a uma placa do tipo Arduino – viabilizando a adição de módulo Bluetooth, bateria e demais sensores. O mais bacana é que o youtuber registrou todo o processo em vídeo, de forma bastante didática, e disponibilizou esse material em seu canal, o Tinkernut.

Trabalho duro, resultado robusto

Como dá para perceber nos três clipes da lista, não bastam apenas esses materiais físicos para transformar um Nokia 1100 em um relógio inteligente de verdade: é preciso muita habilidade manual, uma boa dose de conhecimento de eletroeletrônica e uma pitada considerável de experiência com programação. Ao longo da saga, Davis vai testando portas, descobrindo ligações do LCD, adicionando resistores ao hardware – para evitar peças queimando a torto e a direita – e desenvolvendo pequenas aplicações para o gadget.

Usando uma série de ferramentas, o dispositivo começa a tomar forma e a ganhar mais funções, se tornando até mesmo capaz de exibir pequenas imagens em Bitmap – trazendo uma experiência bastante oldschool ao projeto. Com tudo pronto, soldado, colado e unido para ficar o mais seguro e compacto possível, o “bolachão” recebeu um case que deu uma boa melhorada no visual do brinquedinho, além de permitir que ele seja vestido no pulso com a ajuda de uma pulseira no velho estilo G-Shock.

Ok, o resultado final não é exatamente fino, requintado ou mesmo prático de usar, mas não dá para negar que se trata de uma boa representação do que a antiga Nokia faria caso fosse entrar no mercado de relógios inteligentes há uns dez anos ou mais. E aí, você tem um celular antigo e habilidade suficiente para criar sua própria versão desse wearable? Já criou algo parecido ou brincou com as opções oferecidas pelos Arduinos? Deixe o seu comentário mais abaixo!

Cupons de desconto TecMundo: