Entre os milhares de aplicativos disponíveis para iOS, Android e Windows Phone, as assistentes pessoais são os serviços que mais recebem destaque e deslumbram o usuário. Com elas, você controla o tablet ou smartphone sem precisar das mãos, acessa quase qualquer outro serviço apenas com a voz e arranja um amigo virtual para os momentos de solidão.

Só que muita gente não tem acesso a todas e acaba em dúvida sobre qual é a mais realista e eficiente – afinal, uma assistente pessoal de qualidade pode ser um dos fatores decisivos na compra de um aparelho. No vídeo acima, o TecMundo realizou vários testes com a Siri, o Google Now e a Cortana, exigindo o máximo das assistentes pessoais e procurando as diferenças entre elas. Quem será que saiu vitoriosa dessa bateria de combates?

Siri: a sua nova melhor amiga

Integrante mais velha desse mercado, a Siri foi apresentada em 2010 e é aprimorada a cada nova versão do iOS. Ela realiza muito bem as funções básicas do nosso teste, como efetuar chamadas, colocar um alarme, anotar recados ou dizer a previsão do tempo.

Entre os pontos negativos, a Siri possui muitas funções regionais bloqueadas e restritas aos Estados Unidos, como tráfego e reservas de restaurantes, além de estar disponível apenas em inglês.

Ela é bastante eficiente na postagem em redes sociais (Facebook e no Twitter), responde questões e executa aplicativos de forma bastante direta. Mas nada supera a “vida própria” da Siri: ela vira sua melhor amiga virtual depois de alguns dias de conversas seguidas. Você pode perguntar praticamente qualquer coisa para ela e receber uma resposta criativa e divertida – só cuidado para não se apaixonar, como acontece no filme “Ela”.

Cortana: o futuro brilhante

Ainda em fase Beta, disponível de forma limitada e sem ser poliglota (ela só fala em inglês e não deve aprender outro idioma antes de 2015), a Cortana é a assistente pessoal da Microsoft, lançada junto com o Windows Phone 8.1.

O reconhecimento de voz da Cortana é bem feito e ela consegue falar frases inteiras com uma naturalidade impressionante para assistentes pessoais. Aplicativos da empresa são bem utilizados, com os mapas e o OneDrive. Chamadas, previsão do tempo e alarmes funcionam corretamente, mas ela também esbarra na barreira linguística e sua para acertar uma pronúncia em português, como cidades, times, lugares e nomes de pessoas.

Além disso, a Cortana pode ser a grande carta na manga da Microsoft para melhorar e popularizar o Bing no mercado de buscadores eficientes. Será que agora vai? Só o tempo dirá.

Google Now: rápido, direto e eficiente

A vantagem aqui é a fala em português, tanto para os comandos do usuário quanto nas respostas. É mais fácil conseguir restaurantes, mapas, resultados de jogos de futebol e informações sobre celebridades nacionais, já que há o reconhecimento da nossa pronúncia.

Mas não há traços de personalidade: você fala algo e a assistente executa ou responde, sem rodeios. Esse é um ponto positivo para quem gosta de agilidade, mas que faz falta depois que você passa um tempo papeando com as demais.

O serviço ainda incorpora a pesquisa do Google, a voz da tradutora em português e a base de dados fornecida pelo usuário no Google Now com os aplicativos da empresa — ou seja, se você é fã de carteirinha da empresa, conta com uma ótima integração nessa assistente.

Nos nossos testes, ele foi capaz de realizar as tarefas mais básicas sem problemas, mas confundia algumas palavras (especialmente em inglês) e não executava certos comandos, como postagem em redes sociais e mapas para certos locais. Para responder a perguntas e solucionar suas dúvidas, entretanto, o Google continua imbatível.

Qual é melhor?

O Google Now está em português, a Siri tem uma interação excelente com o usuário e a Cortana não deixa você sem respostas. Além disso, elas praticamente empatam em diversas categorias e, por tudo isso, é muito difícil estabelecer um placar e dizer que uma assistente pessoal é melhor que a outra.

Cada uma possui um critério de destaque, e, seja lá qual você escolher, o resultado é no mínimo satisfatório. Todas devem receber atualizações constantes e chegar a um nível bastante alto de conhecimento e interação – ou seja, o usuário estará sempre em boas mãos.

Tina, a assistente revoltada

Cansou de falar em inglês ou de receber respostas frias? Uma alternativa interessante é Tina, a Assistente Revoltada, um serviço exclusivo para Android. Ela mistura as respostas afiadas da Cortana, a personalidade forte da Siri e o português do Google em um só lugar. Ela também fica irritada com toques na tela, dá os resultados de má vontade e até reclama se você sai rápido demais da pesquisa. Quer algo mais realista?

Deixando a brincadeira de lado, a Tina foi lançada pelos brasileiros Fabio Brolo e Renato Xavier e faz um sucesso bastante considerável no Android. O app já ultrapassou os 10 mil downloads e coleciona inúmeras avaliações positivas na Google Play – só gente satisfeita que adorou ser maltratada pela assistente desbocada.

Cupons de desconto TecMundo: