O anúncio foi inesperado e pegou muita gente de surpresa. A Netflix vem desenvolvendo um projeto de série animada da franquia de games Castlevania na surdina há algum tempo e a confirmação veio nesta semana, com produção e direção de Adi Shankar, que já vem dando dicas de como deve ser a atração.

Série animada baseada na franquia de games terá roteiros e produção do aclamado roteirista de quadrinhos Warren Ellis

Shankar vem sendo atrelado à saga dos Belmont desde 2015 e agora finalmente o que ele descrevia ser uma adaptação “sombria e satírica” fez sentido, com uma casa que parece compreender o potencial da audiência com esse produto. O diretor ganhou sinal verde depois de mostrar uma visão caótica, perversa e divertida de Dredd, longa inspirado nos quadrinhos do Juiz Dredd, e dos Power Rangers, em um curta para adultos.

Será que Alucard, um dos mais populares personagens de Castlevania, dará as caras na Netflix?

Todos os capítulos de uma vez

“Inspirada na clássica série de games, Castlevania é uma fantasia medieval sombria que segue o último sobrevivente do clã Belmont, que tenta salvar o Leste Europeu da extinção pelas mãos do próprio Vlad Dracula Tepe. A série animada vem do Frederator Studios e da Wow! Unlimited, com roteiros do icônico escritor de quadrinhos Warren Ellis, que é produtor-executivo ao lado de Kevin Kolde, Fred Seiber e Adi Shankar.”

Animação será produzida pelo mesmo pessoal por trás de "A Hora da Aventura"

Essa é a descrição oficial da atração, que deve ser “super violenta” e terá toques de “Game of Thrones”, adiantou Shankar. O nome de Ellis também diz muito. O autor de quadrinhos lançou best sellers adultos como “Transmetropolitan” e “Planetary” e é responsável, sozinho, por todos os diálogos e cenas. Então, podemos esperar algo corrosivo pela frente. Além disso, o padrão de qualidade deve ser o mesmo do favorito dos fãs “A Hora da Aventura”, do Frederator Studios.

Os textos serão de Warren Ellis, criador de Planetary, os "arqueólogos do desconhecido"

Isso não parece ser um problema para a Netflix, que vem dando certa liberdade em suas produções originais — a exemplo do sarcástico e sanguinolento “Santa Clarita Diet”. O serviço de streaming também deve ser uma opção acertada para a franquia, pois a audiência gosta do formato que possibilita assistir aos episódios de toda a temporada de uma vez só. Tanto é que, mesmo sem estrear, “Castlevania” já tem um segundo ano em desenvolvimento.

Plot pode ser baseado em Dracula’s Curse

O diretor falou um pouco mais sobre a fonte da história da temporada de estreia. A trama deve girar em torno dos eventos de Castlevania III: Dracula’s Curse, título canônico lançado originalmente pela Konami em 1989 no Japão e em 1990 na América do Norte, para o Nintendinho.

Em 1476, o Conde Drácula e sua horda de monstros ameaçam a Europa. Trevor Belmont, herdeiro do legado de caçador de vampiros, é convocado pela Igreja Católica — a mesma que baniu sua família, acusada de bruxaria — para usar o chicote mágico “Vampire Killer” em Valáquia contra os demônios e chupadores de sangue.

Trama deve ser baseada em Castlevania III: Dracula's Curse

Ainda não há confirmação sobre a participação dos coadjuvantes Sylpha Belnades, uma sacerdotisa, Grant DaNasty, um pirata ágil e cheio de truques, e Alucard, o filho do conde Drácula, que manifesta alguns dos poderes do pai. Pelo visto, o que vem por aí é algo que envolve suspense, ação, terror e conflitos familiares.

Shankar com os Power Rangers

Há dois anos, Shankar animou os fãs em sua versão indie ousada e sombria dos Powers Rangers, com participação de James Van Der Beek (o eterno Dawson, de “Dawson’s Creek”). Muita gente ficou esperando uma resposta da produtora Saban, que não manifestou interesse e acabou partindo para o seu próprio reboot. Ainda assim, o diretor não perdeu as esperanças e agora vem a recompensa: ele confirmou também uma série animada que adapta os três primeiros anos dos heróis coloridos.

Vamos focar no melhor de cada episódio e transformar em algo completamente novo

“Se você observar as atrações atualmente, vai perceber que são como filmes mais longos. É um exemplo de formato que quero explorar e criar shows como Power Rangers. Vamos focar no melhor de cada episódio e transformar em algo completamente novo”, comentou.

Ele também disse que a pegada dark vai continuar. E você, o que achou disso tudo? O que espera dos desenhos para adultos de Castlevania e Power Rangers? Deixe seu comentário e compartilhe!

Cupons de desconto TecMundo: