Você se lembra daquela história de que mais gente morre por causa de selfies do que em ataques de tubarão? No final de 2015, a fotografia mobile pode ter feito mais uma vítima, agora nos Estados Unidos.

O norte-americano de 33 anos identificado como Joshua M. Burwell, morador de Indiana, morreu ao cair de um penhasco na reserva natural conhecida como Sunset Cliffs, que fica em San Diego. O acidente aconteceu durante a tarde no dia 25 de dezembro, quando o turista estacionou o carro no local para buscar um bom ponto para fotografar e apreciar a paisagem.

"Testemunhas alegam verem alguém distraído com um dispositivo eletrônico e  simplesmente cair da beirada", afirmou o salva-vidas que cuida da região. Ele ainda afirmou que, aparentemente, Burnell caminhava sem olhar para onde estava pisando, pois estava com o foco no pequeno dispositivo em suas mãos. A queda foi de cerca de 18 metros em uma superfície bastante rochosa.

Não ficou claro se Burnell morreu porque escorregou durante uma selfie ou se andava pela borda do penhasco e, com as mãos ocupadas digitando ou checando fotografias, não teve tempo de reação. Enquanto o salva-vidas defende a primeira hipótese, a mãe do rapaz alega que perdeu o filho enquanto ele tirava fotos. Ainda assim, fica o aviso: esses eletrônicos podem ser até mais letais que animais selvagens.

Você imaginava que selfies seriam mais letais que tubarões? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: