'Rei da Fraude' pega 10 anos de prisão por crimes online

1 min de leitura
Imagem de: 'Rei da Fraude' pega 10 anos de prisão por crimes online
Imagem: Shutterstock
Avatar do autor

Um cibercriminoso que atuou na Rússia e embolsou mais de US$ 7 milhões em um esquema de anúncios online foi condenado a dez anos de prisão.

Aleksandr Zhukov, conhecido como "Rei da Fraude", manteve entre setembro de 2014 e dezembro de 2016 uma quadrilha que criou um golpe envolvendo a venda de espaço publicitário online em sites populares. O crime ficou conhecido como "Methbot".

Ele foi preso em 2018 na Bulgária, extraditado para os Estados Unidos no ano seguinte e só agora encarou o julgamento. Outros acusados que participaram do cibercrime também foram identificados.

Entenda o golpe

O esquema de Zhukov começou com a criação de uma falsa empresa de publicidade, a Media Methane. A companhia alegava ter contratos e parcerias com grandes veículos de mídia, como os jornais The New York Times e New York Post, e dizia atuar como uma intermediária entre anunciantes interessados e esses sites.

As marcas contratadas eram então levadas a acreditar que tinham seus anúncios exibidos (e altamente visualizados e clicados) após fazer o pagamento para a Media Methane, mas na realidade isso nunca acontecia. A equipe de Zhukov criava um ambiente simulado com bots e versões falsas das páginas dos jornais, gerando números de tráfego e engajamento volumosos a partir de ferramentas de navegação automatizada. Ou seja, os veículos de mídia nem sequer eram comunicados e as páginas de verdade não recebiam os anúncios.

Para realizar o esquema, o cibercriminoso tinha uma equipe de programadores e servidores com mais de 765 mil IPs, vários deles registrados por meio de identidades falsas ou roubadas. Ele ainda desenvolveu robôs que realizavam uma navegação aleatória nos sites para esconder o fato de que a operação era automatizada.